domingo, 24 de janeiro de 2021

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Redes sociais

Sucesso no TikTok: Advogados viralizam com vídeos bem-humorados sobre a profissão

Um dos vídeos passou de 1 milhão de visualizações.

quinta-feira, 26 de novembro de 2020

Aquele Direito engessado e formal ficou para trás. Pelo menos para alguns advogados que têm feito sucesso no TikTok, um aplicativo de mídia para criar e compartilhar vídeos curtos.

Com conteúdos cheios de bom humor, que chegam a passar de 1 milhão de visualizações, esses profissionais fazem sucesso, conquistam fãs e recebem até algumas críticas, de quem não acredita que o mundo da advocacia pode ser encarado com tanta descontração.

Conversamos com três profissionais que aderiram à plataforma. Veja os vídeos e o que eles têm a dizer.

"Alívio cômico"

De Pará de Minas/MG, o advogado Victor Gomes Marinho, especialista em Direito do Consumidor, acumula mais de 74 mil seguidores no TikTok. Com descontração e assuntos de interesse público, Victor conquistou uma legião de fãs.

Em entrevista ao Migalhas, o profissional contou que antes da rede social estourar, ele já produzia conteúdo jurídico no Instagram, mas com outra abordagem.

"Fazia vídeos longos e monótonos, que não eram assistidos por ninguém. Com a pandemia, passei a observar mais o TikTok, e percebendo que já existiam profissionais de diversas áreas na rede social, decidi criar um perfil jurídico. Mas dessa vez, passei a criar vídeos que gerassem identificação, que se aplicassem a realidade da maioria dos advogados e estudantes de Direito, mas que pudessem impactar também o público em geral."

Um de seus vídeos, o que mais viralizou, foi assistido mais de 1 milhão de vezes.

"Foi um dos primeiros vídeos do meu perfil. Foi um vídeo que ensinei o público a utilizar plataformas de pagamento digitais para sacar o FGTS emergencial/auxílio emergencial antes do prazo estipulado pela Caixa Econômica Federal. O sucesso desse vídeo foi tão grande que recebi a informação que funcionários da Caixa estavam utilizando o vídeo para auxiliar as pessoas."

Segundo o advogado, as ideias de conteúdo surgem naturalmente. "Tento aliar situações do cotidiano da advocacia com os sons disponíveis no TikTok", afirmou.

Para Victor, a finalidade principal do seu perfil na rede social é o humor jurídico, quase como um "alívio cômico". Apesar disso, segundo ele, já foi procurado por pessoas interessadas em seu trabalho, principalmente por se identificarem com a forma de produção dos vídeos.

Sobre as críticas, o advogado conta que elas acontecem, inclusive vindas de profissionais que ele diz respeitar.

"Tudo que é novo causa espanto. Na maioria das vezes, a crítica surge como uma forma de defesa de pessoas que não dominam as novas ferramentas. Um dia eu também estarei ultrapassado."

Durante a entrevista, Victor ressaltou que hoje não basta ter apenas o conhecimento jurídico, é preciso saber como distribuí-lo.

"Não adianta ser a maior autoridade em determinada área do Direito, se não souber a melhor forma de comunicar com seu público. Não é só criar um perfil e sair despejando conteúdo jurídico. Quem é seu público? Do que ele gosta? Qual a idade do seu público? Que tipo de conteúdo ele costuma consumir? Essas são perguntas que devem ser respondidas por todos que desejam produzir qualquer conteúdo nas redes sociais."

Publicidade

Sem grandes pretensões

Diretamente de Goiás, Guilberti Allan Alves de Souza criou sua conta no TikTok sem grandes pretensões.

"Utilizava apenas para ver vídeos e, dias depois, gravei dois ou três. Quando gravei imaginei que, para o futuro, poderia ser uma oportunidade, visto que era uma rede social nova no país e ainda com engajamento orgânico. Então, um desses vídeos viralizou e eu fiquei espantado com o quanto o app 'entrega' os vídeos para os usuários, diferente das demais redes sociais, que acabam priorizando o tráfego pago."

Com mais de 57 mil seguidores, ele pretende continuar se dedicando ao perfil, "mesmo com a correria do dia a dia". Em seu vídeo mais assistido, Guilberti aborda a possibilidade da esposa e filhos anularem doação feita para amante, atingindo 839 mil pessoas.

Assim como Victor, Guilberti também recebe críticas de acadêmicos e operadores do Direito por passar informações com linguagem "tão informal".

"Eu não me importo com as críticas. Esse pessoal não paga meus honorários mesmo (risos). A difusão de informações acessíveis deve ser priorizada."

Um reflexo positivo de seu perfil no TikTok foi o aumento de dois mil seguidores no Instagram. "Além de algumas consultas e a credibilidade que a quantidade de seguidores dá, o que oportunizou, inclusive, a contratação em alguns processos locais", disse.

Realidade não é igual aos filmes

Willian Carvalho, advogado especialista em Direito Digital na região de Ribeirão Preto/SP, criou seu perfil no TikTok durante a quarentena com a ideia de mostrar às pessoas a realidade da advocacia brasileira, pois, segundo ele, é muito diferente do que é exibido nos filmes e séries americanos.

Para Willian, seu perfil é um reflexo de situações do dia a dia que já passou e histórias engraçadas que já vivenciou.

"Sempre quis ser advogado, e a primeira vez que fui ao fórum com meu pai, que também é advogado, achei tudo muito diferente, para ser sincero meio decepcionante, pois pensava que era como nos filmes, e desde então, comecei a reparar muito nas diferenças, onde tive a ideia do Suits brasileiro, que é o nome que dei a minha série de vídeos do TikTok."

Segundo o advogado, sua conta na rede social é mais voltada para a educação de pessoas que querem seguir a carreira, colegas de profissão e até mesmo cidadãos que chegam a um escritório de advocacia "achando que o processo dele será como ele viu na TV".

Com 83 mil seguidores, seu vídeo que mais fez sucesso é representando um advogado novo durante uma audiência de divórcio. O conteúdo foi visualizado quase 900 mil vezes.

Ao contrário de Victor e Guilberti, Willian não sofreu críticas por seu conteúdo, a não ser de perfis fakes.

"Como retrato as dificuldades de outros colegas, acredito que muita gente se identificou com os problemas e isso criou empatia."

 

 

 

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 26/11/2020 14:20

LEIA MAIS