quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Enem

Site Migalhas é citado na prova do Enem deste domingo

A menção ao Migalhas se deu a partir de uma reportagem, de 2004, que narrou a história de um habeas corpus feito em versos pelo ex-governador da Paraíba, Ronaldo Cunha Lima.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2021

Neste domingo, 17, aconteceu o primeiro dia de provas do Enem - Exame Nacional do Ensino Médio 2020. Os participantes fizeram as provas objetivas de linguagens e ciências humanas, com 45 questões cada, e a prova de redação.

Numa das questões, que é colocada em locais diferentes, dependendo da cor da prova do examinando, nosso humilde site Migalhas foi citado.  

A menção se deu a partir de uma matéria de 2004, quando trouxemos à baila versos do poeta, político e jurista Ronaldo Cunha Lima. 

Os versos teriam sido compostos em 1955, em Campina Grande, quando um grupo de boêmios que fazia uma serenata teve seu violão apreendido. Espirituoso, Cunha Lima peticiou ao juiz um habeas corpus em versos, requerendo a liberdade do instrumento. A petição ficou conhecida como "habeas pinho", e é muito conhecida dos causídicos que apreciam os cordéis.

A pergunta do Enem, como é comum nestes casos, acabou cortando um pedaço dos versos. Abaixo como ficou na prova:

 

Senhor Juiz

O instrumento do "crime" que se arrola

Nesse processo de contravenção

Não é faca, revólver ou pistola,

Simplesmente, doutor, é um violão.

 

Será crime, afinal, será pecado,

Será delito de tão vis horrores,

Perambular na rua um desgraçado

Derramando nas praças suas dores?

 

Mande, pois, libertá-lo da agonia

(a consciência assim nos insinua)

Não sufoque o cantar que vem da rua,

Que vem da noite para saudar o dia.

 

É o apelo que aqui lhe dirigimos,

Na certeza do seu acolhimento

Juntada desta aos autos nós pedimos

E pedimos, enfim, deferimento.

 

Disponível em: www.migalhas.com.br.

Acesso em: 23 set. 2020 (adaptado)

 

Essa petição de habeas corpus, ao transgredir o rigor da linguagem jurídica,

A) permite que a narrativa seja objetiva e repleta de sentidos denotativos.

B) mostra que o cordel explora termos próprios da esfera do direito.

C) demonstra que o jogo de linguagem proposto atenua a gravidade do delito.

D) exemplifica como o texto em forma de cordel compromete a solicitação pretendida.

E) esclarece que os termos "crime" e "processo de contravenção" são sinônimos.

Resposta: Segundo o cursinho preparatório Anglo, a resposta correta é a C, já que na primeira estrofe o autor indica que o instrumento do "crime" em questão é um violão e, na segunda estrofe do poema, questiona-se justamente a pertinência da acusação feita.

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

Crítica

O filho do saudoso político, Cássio Cunha Lima, que também foi governador do Estado, citou nas redes sociais a menção do poema no Enem, lamentando que não se tenha colocado a autoria dos versos, e que tivessem sido adaptados. Cunha Lima observa, no entanto, que o poema, na íntegra, pode ser encontrado no site Migalhas.

(Imagem: Reprodução/Facebook)

(Imagem: Reprodução/Facebook)

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 18/1/2021 14:41

LEIA MAIS