domingo, 29 de novembro de 2020

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Cesar Maia afirma que que a elite paulista não é solidária nem na tragédia

terça-feira, 31 de julho de 2007


Opinião

Cesar Maia critica duramente a eleite paulista

O prefeito carioca Cesar Maia em seu boletim diário distribuído por e-mail, ao fazer referência ao acidente da TAM, afirmou que a elite paulista não é solidária nem na tragédia. Para tanto, inicia seus comentários referindo-se aos alunos de Direito do Largo de São Francisco do século XIX. Veja abaixo a íntegra e aproveite para registrar sua opinião.

Ex-Blog do Cesar Maia 30/07/2007

PAULICENTRISMO! DE AFONSO PENA A GETÚLIO VARGAS!

Ou como a elite paulista não é solidária nem na tragédia!

1. Getúlio Vargas dizia que era impossível governar o Brasil com a força da "bucha" (organização de estilo maçônico, -criada no séc 19 - dos alunos da escola de direito do Largo de São Francisco, nos moldes alemães). Dos presidentes eleitos na República Velha, a "bucha" , "elegeu" pelo menos seis.

2. Depois dos paulistas eleitos na República, Prudente de Morais, Campos Sales e Rodrigues Alves, a "bucha" tentou emplacar mais um governador de SP (Bernardino Campos se a memória deste Ex-Blog vai bem). Não deu e para evitar o pior foi eleito Afonso Pena de MG, aliás, também da "bucha", mas pelo menos de MG, iniciando a política do café (SP) com leite (MG).

3. Na eleição de 1930, o presidente Washington Luís, de SP -escolhido pela "bucha"- escolheu e elegeu -da forma que se elegia na época- o governador de SP, Julio Prestes, presidente do Brasil, pavimentando a Revolução de 30.

4. SP precisa saber que o Brasil não se confunde com SP. Aliás, presidentes como JK, terminaram sendo mais paulistas que muitos nascidos em SP. Certamente, para SP o melhor é que os demais estados brasileiros cresçam e criem mercado para SP.

5. Mas o paulicentrismo é cego. Imagina que SP sustenta o Brasil, e que o interesse de SP, é o interesse do Brasil. Parafraseando os piores momentos da política brasileira: "-O que é bom para SP, é bom para o Brasil".

6. Agora na tragédia de Congonhas passa o mesmo. Poderíamos contraparafrasear Otto Lara Resende: -As elites de SP não são solidárias com o Brasil nem numa tragédia como a de Congonhas. Ou diretamente: não são solidárias nem no câncer.

7. É evidente que o aeroporto de Congonhas é inviável, cercado de cidade por todos os lados. Também é verdade que nada se resolverá num piscar de olhos. Mas é óbvio que descentralizar as operações aéreas -vôos- de SP para os aeroportos do Rio, de BH, de Salvador e se der, de Brasília é evidente. A centralização em SP -e não apenas em Congonhas- obedece à lógica das empresas aéreas de centralizar em SP os vôos de conexão e internacionais, com vistas a obter economias de escala.

8. Lixe-se a segurança do vôo e dos passageiros. Lixem-se todos, e que as empresas aéreas se lambuzem com esta economia de escala.

9. A tragédia de Congonhas trouxe esse fato à reflexão. Mas imediatamente o governador de SP diz que é contra outro aeroporto e o que quer é mais uma pista em Guarulhos, um metrô-trem de ligação de Guarulhos com o centro de SP. Ou seja: que SP continue centralizando o transporte aéreo e lixem-se os passageiros e os brasileiros. Em seguida defendeu sua tese junto a seu amigo do peito e atual ministro da defesa.

10. A reação da "bucha" era esperada: - Todo o poder aos "sovietsbandeirantes".

11. Só que agora é hora de se dizer -chega- como se disse na sucessão de Rodrigues Alves e de Washington Luis. O Brasil é muito mais que SP. Abaixo a "bucha" modernizada. É urgente - já e agora - descentralizar os vôos para RIO, BH, BSB e Salvador, antes que a próxima tragédia surja nos jornais e afete a todos - mais próximos ou menos próximos - das futuras vítimas.

12. Que esta descentralização venha logo e que a "bucha" não continue transfundindo sangue dos demais estados. Um pouco de solidariedade, sem ser no câncer, não fará mal a SP e fará bem aos passageiros e ao resto do Brasil.

Para registrar sua opinião sobre o assunto, clique aqui.

_______

Migalhas dos leitores

"Se a demanda se concentra nos aeroportos de São Paulo, não é correto querer que estas pessoas viajem 100 ou 150 km para pegar avião em outro lugar, e isso ocorre em qualquer lugar do mundo. É um desvario imaginar que os aeroportos estão concentrados em São Paulo porque os paulistas querem, porque aeroportos existem em todo lugar. O que existe em São Paulo e não existe em tantos outros lugares é uma grande demanda que não pode deixar de ser atendida por mero capricho político."

Guilherme Cezaroti

"Bom saber que o prefeito Cesar Maia é conhecedor de nossa história, por sinal, muito bem narrada. Ilustríssimo Sr. Prefeito, vamos aos fatos: 1 - A elite por V.Sa. chamada, nada mais é do que os empresários paulistas, gaúchos, cariocas, mineiros que realizam diariamente negócios e pagam taxas, tarifas, impostos e tudo mais aquilo que faz possível V. administração. 2 - São Paulo é sim a maior cidade em negócios do país, fato histórico este por sinal, sem desmerecimento de outras cidades do Brasil. 3 - Descentralizar São Paulo, significa desprender investimento privados e públicos em outras cidades, benefícios fiscais, parcerias entre outras inúmeras medidas a serem adotadas. Como governante o Sr. deveria refletir um pouco sobre as medidas que vem adotando para isso. 4 - 'Bucha' é o que nós brasileiros resolvemos diariamente. E digo uma coisa a V. Sa., que bom se o único problema de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, em resumo do Brasil, fosse descentralizar cidades e vôos. 5 - Solidariedade, não falta a nós paulistas e nem ao povo brasileiro, mas pergunto se durante a proclamação destas sábias e refletidas palavras, o Sr. consultou no dicionário a palavra 'iniciativa'. Por fim, tenho certeza que São Paulo não é o interesse do Brasil, pois se assim o fosse, o Sr. não seria prefeito, e o nosso Presidente, também não o seria."

Walter Roberto Plaza Junior

"Tal como uma norma jurídica irremediavelmente viciada desde a fonte, o texto desse nobre político deve ser considerado sem qualquer efeito, como se nunca tivesse sido escrito ou circulado. É a única forma de preservar a Constituição da República a que todos nós, inclusive ele, devemos observância e respeito."

Flávio José de Siqueira Cavalcanti

"O que o criador de 'factóides' precisa entender que não é a bucha que atrai e sim o restante que vem para cá em busca do pão. Será que ele sabe que muitos integrantes do mercado de ações (ex-mercado, como o ex-blog) tiveram que se mudar para São Paulo porque o mercado do Rio acabou."

Arthur Vieira de Moraes Neto

"O senhor Cesar Maia que fique de joelhos ao mencionar a Faculdade de Direito do Largo de S. Francisco. O conteúdo do 'ex-Blog' de ontem é um acinte ao povo de São Paulo, além de prova inequívoca de sua enorme capacidade de confundir a história em benefício próprio. No fundo, bem no fundo, pretende enfiar a conta desse descalabro orçamentário chamado PAN na viúva... São Paulo não esquecerá essa arrogância. Pague a conta, prefeito. Pague e não bufe. Pois bucha mesmo é o que vosmecê irá receber nas próximas eleições..."

Alexandre Thiollier - escritório Thiollier e Advogados

"Acho engraçado o Sr. Cesar Maia usar uma tragédia para expor o seu preconceito contra os paulistas. Todos nós fomos atingidos. O problema não é só o aeroporto de Congonhas. Quem já desceu no Santos Dumont e não imaginou se espatifar na água? Ou em Ilhéus? Agora transformar este trágico episódio em uma pseudo manifestação contra uma população ainda abalada é ser muito pretensioso."

Lucia Queiroz

"Os destemperos do alcaide Cesar Maia são s marca registrada. Por faltar-lhe autoridade e conhecimento, deveria abster-se de falar sobre a nossa Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, a que alude, pejorativamente, como escola (com 'e' minúsculo). Mais um no rol daqueles que lançam invectivas contra S. Paulo. Como diria o vulgo, 'o que vem de baixo não nos atinge'."

Ricardo Nacim Saad

"Como carioca, morador do Rio de Janeiro, mas tendo sido aluno das Arcadas, posso dizer que o Alcaide Cesar Maia não deve ser levado a sério. A marca de sua administração é o descompromisso com a verdade: é o rei dos 'factóides'. Pobre de nós, cariocas, que temos um prefeito que finge administrar."

Ranieri Mazzilli Neto

"Olá todos... Bom, realmente não sei se a 'bucha' está por trás disto ou não... aliás, não quero saber se é 'bucha', 'sabão' ou 'esponja'. O que importa é que o tráfego aéreo brasileiro está totalmente bagunçado e que, sim, existe uma concentração demasiada da malha aérea em São Paulo - seja CGH ou GRU. Por que isso? Creio que o prefeito Cesar Maia foi infeliz ao escrever que SP não é solidário ao BR num momento como este. Entretanto, é notório que existe, sim, uma certa pressão política para esta centralização em GRU e CGH. E não vem de hoje. É necessário descentralizar isso urgentemente. Até porque a pista principal de GRU está no limite de sua capacidade de uso - já se vão aí 20 anos sem reforma! CNF, GIG, SSA, CWB, BSB são aeroportos que podem muito bem receber maior tráfego. SSA e GIG em especial, no que se refere ao tráfego internacional. É isso. Fui..."

Sidney Linhares

"A solidariedade se faz de pequeno. Cesar Maia, como nunca o foi, não aprendeu a lidar com situações de momentos delicados - haja vista seu Rio estar como barril de PÓ-lvora... Sou Mineiro e não acredito que o 'paulicentrismo' seja menos aparente que o 'carioquismo'. Brava gente, esses brasileiros."

Samuel Guimarães e Garcia de Carvalho

"Adorei o texto do Prefeito Cesar Maia sobre o Pauliscentrismo e poder da bucha! Há tempos que não lia um texto cômico tão bem escrito! Depois de rir mais um pouco, pretendo deliberar com os demais colegas da nossa organização secreta (ou nem tanto!) a deposição do autor do texto do cargo de prefeito e a posterior nomeação dele como bobo-da-corte do Palácio do Planalto, para alegrar um pouco o nosso Presidente Lula (que, aliás, não foi eleito pelo povo, mas foi escolhido por nós no palitinho, em sessão secreta no porão do XI de Agosto). Saudações acadêmicas!"

André Cruz de Aguiar - turma de 1997, OAB/SP 160.726

"O sr. prefeito deveria se preocupar mais com o sofrido povo da cidade do Rio de Janeiro, pois somente a paisagem está maravilhosa (por enquanto!). Por que o sr. não nos ajuda a descentralizar criando um aeroporto no Morro do Alemão? Vai dinamizar a economia da sua cidade. São Paulo não é um exemplo em muitos aspectos, mas existe talvez, mais seriedade, respeito e interesse na resolução de vários problemas que ocorrem, regional e nacional. Preocupe-se em dar educação, saneamento básico e segurança, para isto é que o sr. deve ter sido eleito, não acha?, é caso de ver seu programa de governo, talvez o sr. tenha um, em algum lugar de seu notebook, talvez na memória RAM, que se apaga, toda vez que o sr. o desliga."

Manoel Antonio de Carvalho

"Inadmissível tal manifestação do 'ilustre' Sr. Cesar Maia. Primeiro porque é ridículo colocar a culpa nos paulistanos (correta denominação de quem nasce em SP) por toda a concentração de vôos em SP. Isso é um problema político, entre o governo e as empresas de vôos. São Paulo é sim o centro comercial do país, o lugar onde as coisas acontecem e tenho muito orgulho de ser paulistana e de morar nessa cidade que tudo tem a oferecer, diferente de muitas outras. Também não acho agradável termos um aeroporto no meio da cidade, sofrermos perigo constante em decorrência da sobrecarga de vôos, decolagens e partidas naquele aeroporto. Mas jogar a culpa no paulistano é extremamente ridículo. O país precisa de ação. Inclusive o Rio de Janeiro. Se o trabalho fosse um pouco mais intensificado não estaria do jeito que está, esta baderna inadmissível que é aquela cidade 'Maravilhosa'."

Fernanda Gomes

"Bom dia colegas. Alguém sabe ou saberia me dizer, quem é Cesar Maia? Diz que o aeroporto de Congonhas é cercado de uma cidade por todos os lados. Direi que o Rio que ele tanto venera é cercado de bandidos por todos os lados, ou não? Sr. Cesar Maia, o Sr. tem que ingulir, queira ou não, que o Brasil gira em torno de São Paulo, assim como a Terra gira em torno do Sol. O dia que o Sol apagar, apaga-se a Terra. Lembre-se, ainda, que Congonhas, Cumbica, Viracopos ou outro que seja, sempre será trampolim de distribuição para qualquer passageiro que queira viajar pelo Brasil ou para o mundo. Ponha-se no seu lugar, e, tente administrar uma cidade, que não merece ter o prefeito que tem."

Hamleto Manzieri Filho

"Acho que com um 'pirulotizinho' o Cesar Maia se acalma e não fará xixi na cama."

Jose Osorio Lourenção

"O fascistóide Cesar Maia deveria poupar suas energias para aplicá-las na busca de soluções para a tragédia permanente que vive a cidade do Rio de Janeiro, essa sim, a 'sua' verdadeira 'bucha'. Morda sua língua, Cesar Maia e, por favor, tire o chapéu ao se referir a cosmopolita São Paulo."

Daniel G. Fiorotti

"Esse sujeito é o mesmo que disse que ia fazer os jogos pan-americanos com verba própria e depois ficou dependendo de verba federal? A cidade dele é aquela que vive em guerra civil e que cobra mais verba federal para o combate à violência do que qualquer outra do país? Desculpem-me estava só precisando me localizar."

Rodrigo Otávio de Araujo Herval

"O 'ilustre' prefeito ainda não descobriu que São Paulo é a locomotiva do Brasil. No Rio já votaram para macacos e outros animais e é por isso que ele foi eleito."

João Pedrinelli

"Vale lembrar que a Revolução de 1930 legou ao Brasil 15 anos sob o comando de um mesmo governante (em alguns lugares menos civilizados isso é conhecido como ditadura), e que os únicos brasileiros a se levantarem contra essa situação, clamando pela volta do regime constitucional, foram justamente os filhos de São Paulo. E, se o nobre alcaide carioca quiser uma prova da solidariedade paulista, basta vir até o centro velho da Paulicéia Desvairada e admirar o Edifício 'Ouro para o Bem de São Paulo'. Prova maior que essa apenas as boas-vindas com que essa cidade acolhe a todos, sejam eles mineiros, baianos, pernambucanos, gaúchos, italianos, goianos, alemães, japoneses, catarinenses, paranaenses, portugueses e cariocas."

Reginaldo de Andrade

"O Rio de Janeiro, desde o império, acostumou-se aos dias de glória, próprios da corte e do Poder Central enraizado no 'bunker' do Palácio do Catete. A pujança da economia paulista, entrementes, ultrapassou em muito, e, especialmente na última metade de século, o combalido PIB carioca, acostumado, qual cigarra no verão, a viver de fonte única, in casu, o turismo. São Paulo, qual formiga, trabalha duro no verão para ter o inverno opulento que faz por merecer. Em que pese assistir relativa razão ao líder carioca quando infere algo como os 'sovietbandeirantes' realçando a sobejamente conhecida prepotência de certos seguimentos da política paulista, não pode ele esquecer que tudo é uma questão de números. Basta comparar o PIB, a população e a conseqüente demanda aérea de ambos os Estados para se perceber que Maia, se tivesse uma TAM (Transportes Aéreos Maia) só sua, também concentraria suas operações onde o vetor capital/trabalho faz sentido todos os meses do ano. Quanto à 'bucha', reinventada por ele Maia que antes de tudo é Cesar, cada povo tem a 'bucha' que merece. O Rio, por exemplo, não merece a 'Brucha' ou bruxa, como queiram, que, nos bons tempos, montava em vassoura de piaçava e distribuía maçãs com sonífero e, hoje, nos tempos de César (a César o que é de César) ronda os céus cariocas montada no seu fuzilzinho AR-15 a distribuir granadas e obuses. A Cesar o que dele é: cuide das bruxas criadas nos castelos da omissão secular dos políticos da antiga corte e deixe a 'bucha' paulista por nossa conta."

Alfredo Martins Correia

"Tivesse ainda o Brasil governantes da estirpe dos estadistas paulistas da Velha República, não estaríamos sendo governados por essa corja de políticos picaretas e desqualificados que se apossaram do Poder, inclusive no Rio de Janeiro."

Ricardo Salles

"Aproveitar um momento de comoção nacional para atrair mais vôos e mais negócios para o Rio de Janeiro é, no mínimo, muito mau gosto, além de uma evidente e descarada falta de solidariedade. Aliás, o que é solidariedade para o ilustro autor do título? Falar mal dos paulistanos em um momento de triste como esse? Pisoteá-lo enquanto sofre por suas perdas? 'Bela' idéia faz o prefeito sobre solidariedade."

Eliane Quintella

"Esse cidadão carioca, com 'inescondível' ódio aos paulistas, pretender atacar São Paulo, mirando a sua ira exatamente contra a Velha Academia que, desde a sua inauguração defende a liberdade, a democracia, o verdadeiro Estado de Direito, que permitiram a esse cidadão tornar-se prefeito do Rio de Janeiro. O Rio, aliás, onde estou trabalhando agora, não merece ter como prefeito pessoas dessa natureza. Sou Paulista e paulistano e, com redobrado orgulho, posso afirmar que foi o nosso escritório de advocacia, em todo o Brasil, o escolhido para trabalhar em defesa das marcas e símbolos do PAN/2007, em combate à pirataria que, reconhecidamente, foi incapaz de provocar o menor susto aos investidores. Graças a este paulista que a Prefeitura do Sr. Cesar Maia não foi vilipendiada por ações espúrias. Por fim Sr. Prefeito do Rio, se a beleza é fundamental para os seus anseios, lembro-lhe que, antes de ser 'bele', é melhor ser educado."

Roberto Sergio Chamas Cardoso

"O texto do grande alcaide Cesar Maia nos leva a refletir sobre a responsabilidade de se colocar pessoas certas (ou seria melhor - corretas), em cargos de tal importância. Olha o perigo que se corre. Que Deus nos ajude e ao nosso País, e que críticas como esta apenas nos fortaleçam para que o nosso Estado de São Paulo continue a colaborar de forma exuberante, acolhendo a todos os nossos irmãos brasileiros, e nos esqueçamos desse infeliz comentário do senhor cesar maia (com minúscula mesmo)."

Luiz d'Aparecida Gerbasi

"Será caso de internação? Difícil entender essa desatinada associação de uma tragédia aérea tão grande com as sagradas Arcadas do Largo São Francisco. Preclaro Sr. Cesar Maia, se estiver com algum problema de saúde (só isso a justificar tanta asneira cerebrina) sugiro que se dirija a algum dos excelentes hospitais paulistanos, a exemplo de outros tantos políticos que se dirigem para cá a procura de tratamento. E passe muito bem - ou não - como diria Caetano Veloso."

Eliza Besen - Santo André/SP

"É lamentável ver que o prefeito Cesar Maia não é solidário com brasileiros nem perante ao maior acidente aéreo da história, no país. O artigo publicado em seu boletim limitou-se a criticar o povo paulista/paulistano e passou longe de qualquer reflexão sobre o desastre da TAM. Acredito que a energia gasta ao redigir a crítica ao governo paulista poderia ter sido usada para busca de soluções na prefeitura carioca. O Brasil é um país com total potencial para o pleno desenvolvimento e cada Estado tem pontos negativos e positivos. Imagino que brasileiros como o prefeito Cesar Maia tenham inspirando o Rio Grande do Sul, dentre outras coisas, quando da tentativa de secessão do Estado com o Brasil, na guerra dos Farrapos. Parafraseando Mark Twain: 'O grande problema não é o que você não sabe. É o que você tem certeza que sabe, só que não é verdade'. Impressionante como o prefeito Cesar Maia não é solidário nem na tragédia!"

Raquel de Arruda Campos Barcellos

"Está nos noticiários que querem 'esticar' outros Estados, fazendo (e trazendo) novos (?) políticos para os paulistas, inclusive a 'bucha', sustentar. Precisamos dar um fim nessa escumalha que arrota o que come com o nosso dinheiro. Parece-me que 1932 não serviu de lição a eles: às armas!"

Avelino Ignacio Budu Garcia

"Cesar Maia - Contaminado! O Prefeito do RJ foi colhido por perigoso vírus, que já contaminou inclusive gente muito melhor que ele, cujos primeiros e terríveis sintomas manifestam-se através de uma incontrolável dor nos cotovelos... Especialistas consideram o mal como quase incurável!"

Edmilson G. Narchi

"Vai ver que o Sr. Cesar Maia, além de querer enfiar a bucha da realização do PAN na cidade maravilhosa e o enriquecimento de alguns com o mega evento, pretende quem sabe construir uma pista de pouso na Favela do Alemão."

Raimundo Nonato Lopes Souza

"Lamentável a preocupação do títere Cesar Maia. Sabemos que São Paulo sempre foi o Estado solidário em todas as ocasiões (haja vista nossa contribuição em enchentes no Rio de Janeiro há alguns anos). Sempre pensamos no Brasil como um todo. Somos um povo que trabalha e que teve a felicidade de crescer numa região geográfica abençoada por Deus que nos oferece condições de nos tornarmos a locomotiva econômica do país com 63% de arrecadação de impostos como contribuição. Não devemos levar em consideração as opiniões de tão pobre político que demonstra incapacidade administrativa e vida política feita de aleivosias e pictóricas manifestações sem conteúdo. Que São Paulo é o centro do desenvolvimento e que agora está exportando isto para os demais Estados irmãos não há o que se negar. São Paulo é a maior cidade nordestina fora do nordeste, é a maior cidade japonesa fora do Japão. Os irmãos coreanos vivem em harmonia com os irmãos japoneses. Perdoem-me as demais nações porque somos tão irmãos que este espaço seria pequeno homenageá-los e eu estaria fugindo do assunto desagradável que é a pobre manifestação do medíocre Cesar Maia. Senhor Cesar Maia não seja invejoso por não ser paulista. Não seja ridículo atirando pedras em quem está a sua frente. Se quiser subir na vida, suba por degrau e não puxe aqueles que estão a sua frente. Participe de nosso progresso para que o Brasil não seja este caos que a politicalha como a sua está provocando."

Antonio Decio Rodrigues Guerreiro

"Prefeito Cesar Maia, como paulista eu lhe digo: - 'a inveja matou Caim, na porta do botequim'. A sua raiva de São Paulo é um atestado da sua incompetência para enfrentar o crime organizado na antiga cidade maravilhosa."

Acacio Vaz de Lima Filho

"Enquanto em Parati e Taubaté estouram bombas de vaidade e egocentrismo lançadas mutuamente por paulistas e cariocas (disputando para ver quem tem mais culpa, digo contribuição, na construção do Brasil), discretamente ganha força a maracutaia equatorial da criação de novos Estados (leia-se mais desproporção regional e mais gastos e parlamentares no Congresso). Desfocados pela vaidade, otários e malandros olvidam que nem um dos dois lados ainda comanda alguma coisa. Bem-vindos à era dos ladrões e sindicalistas!"

João Guilherme Duda - advogado, Curitiba/PR

"Como diria o outro banana de pijamas, é em Sampa que está 'a força da grana que ergue e destrói coisas belas'. Também é essa força que torna São Paulo o centro econômico deste país, para o bem e para o mal. Senhor Cesar Maia, vista o seu pijama e vá...!"

Maria Aparecida de Almeida

"Talvez em contexto equivocado, talvez seja a pessoa errada, mas a reação está exageradamente emocional. Que há concentração demasiada dos vôos não se pode negar; que a concentração deva acontecer, também não. E isso faz com que se esqueça o principal, que ninguém contestou ou abordou: o excessivo direcionamento para São Paulo das ações do governo federal. Só para ilustrar: de São Paulo sai a maior parcela de contribuição para a arrecadação da União, mas para São Paulo volta a quase totalidade da renúncia fiscal da União. O atual Governador de São Paulo, quando Ministro da Fazenda, concentrou em SP mais de 70% dos gastos de seu ministério: sobraram 30% para o resto do país."

José Arno Galvão

"Já vou adiantando que sou gaúcho, então o que escreverei pode ter algum laivo de preconceito. Assim, peço escusas antecipadas. Até concordo com o Prefeito Maia de que há uma concentração 'inexplicada' de vôos e aeronaves em São Paulo (em Congonhas, até o mundo mineral sabe). Porém, não acredito que os paulistanos estejam contentes com tal fato. Nem que a alegada falta de solidariedade seja apenas entre a elite paulista (e, diga-se de passagem, nem em toda ela). Ela vai, inclusive, até o seu próprio partido - o ex-PFL (recuso-me a dizer Democratas!) - que aproveitou-se desse momento para posar de baluarte em defesa do povo... novamente! Há excesso de demanda em São Paulo? Claro que há, afinal é a maior cidade da América do Sul. E o Governador Serra - a quem não apoio, nem apoiei - tem direito de querer alternativas para atender essa demanda. Mas que seja com o dinheiro de São Paulo, o Estado mais rico da Nação. Há centralização de vôos em São Paulo? Sim, há. Moro em Porto Alegre e tentei ir a Buenos Aires de avião na última semana. Surpreendentemente, não há vôos diretos de Porto Alegre a Ezeiza! Só via Guarulhos! Ou seja, uma viagem que, de ordinário, duraria 1h30min, 1h45min, leva quase dez horas (se o avião sair no horário!). Um absurdo! Acabei indo de ônibus (18 horas de estrada para ir, mais 18 para voltar). Portanto, nisso o Prefeito Maia tem razão: há algo de podre no ar do Brasil, e não é só o cheiro da corrupção ou aviões com problemas mecânicos. Porém, os paulistas, como um todo, não podem ser culpados por isso."

César Augusto Hülsendeger - advogado e jornalista

"Sobreviventes! O lamentável episódio envolvendo um senhor que não conheço, que soltou uma logorréia, tão usual em nossos políticos, com razão está o carioca Ranieri Mazzilli Neto. Se, a imprensa deixasse de focar certos políticos, (uma boa maioria deles) estes cairiam no desconhecimento para sempre. Ouço há décadas, sempre os mesmos políticos, no Congresso Nacional, mas que nada resolvem em favor do Brasil. Além, é claro, dos seus próprios egos."

Elmar Göhr - Palmitos/SC

"O alcaide carioca (que às vezes se acha imperador) perdeu uma boa oportunidade de ficar calado. Podia, isso sim é cuidar de nossa cidade, que é sua principal obrigação, e da qual vem se olvidando, basta ver como está nosso trânsito, os camelôs, a feira que se transformou nosso centro da cidade, etc. etc. se quiser uma lista vai faltar espaço."

Wilson Monteiro

"O Cesarrr Maia, tu conheces aquela marchinha? Dor de cotovelo dói dói dói, poisss é mermão! Cuide mais de sua Cidade, e pare de se preocupar (inveja) com a dos outros. Você considera como Paulista todo o Brasil e olha que sou paulistano, e conheço muitos cariocas bem paulista por opção, assim como os outros 26 Estados. Aqui trabalhamos e somos sem 'Martarizar', somos gozados pelos outros. O Cesinha, a Capital Federal agora é em Brasília. Já saiu daí e faz tempo!"

Evaldo Rui Franco

"Patético..."

Luis Humberto Monteiro

"É triste constatar que o que o Ex- blog do Cesar Maia pretende é extrair frutos políticos de uma tragédia dessa dimensão. Ressuscitar a velha rixa entre paulistas e cariocas em um momento desses é, no mínimo, constrangedor. Talvez o remetente devesse intitular-se 'Urubu sobrevoando a carniça' e, antes de emitir sua opinião pouco abalizada, informar-se um pouco mais sobre a participação dos estudantes do Largo São Francisco na vida política do país. Advogada, sanfrancisca e migalheira."

Cristiane Morais Dias

"Acho que o ilustre prefeito carioca se esquece do fato de que os aeroportos são de competência federal, de que o governador paulista não preside nenhuma empresa aérea para decidir de onde partem ou onde chegam seus vôos e por último, quando o aeroporto de Congonhas foi construído estava bem distante da cidade, e como é comum acontecer, a cidade engoliu o aeroporto, como acontece em qualquer grande centro urbano. Tal comentário do prefeito Cesar Maia me faz lembrar que o município do Rio de Janeiro não deve ter problemas a serem resolvidos ou discutidos, afinal o ilustre prefeito não se preocupou em nenhum momento com a violência nas favelas de sua cidade, ou em explicar algumas antigas acusações com relação às verbas destinadas ao Pan-americano! E aos que possam pensar, nunca fui 'bucha', e sim me solidarizo com as famílias das vítimas do acidente, mas o problema não se resolverá com essa política de baixo nível que percebemos no comentário do prefeito."

Lysandra Virgínia de Almeida Castro

"Concordo com o prefeito do Rio."

Thiago Rachid

"O mais novo 'factóide' do 'Cesar' carioca, o prefeito Maia (ou seria 'vaia'? respostas para o Planalto) demonstra sua absoluta falta de familiaridade com as coisas de São Paulo. As empresas paulistas (por acaso a Gol é paulista? ou a Varig?) querem manter os vôos em Congonhas para reduzir seus custos - e qual empresa não quer? É necessário polemizar e debitar essa conta no lombo dos paulistas? Se vai haver descentralização de vôos ou não, essa é matéria para ser debatida por técnicos peritos em aeronáutica e que tais, e o prefeito Maia presta um desserviço ao meter o seu bedelho nessa discussão. Aliás, foi porque políticos se meteram nesse assunto que a situação chegou aonde chegou... P.S.: A propósito, o item 10 do 'manifesto' é incompreensível: se a bucha é da elite, como pode ela querer dar todo o poder aos 'sovietes'? Ou o prefeito não conhece história do Brasil ou não conhece a Revolução Russa. Em todo caso, todo este debate é vela demais para mau defunto."

José Alberto Clemente Junior

"O Sr. Cesar Maia é, no mínimo, ridículo. Cutucar paulistas e paulistanos é coisa de gente pequena e, principalmente, invejosa."

Osvaldo Marchi

"Amado Diretor, quem vai responder as acusações do Cesar Maia às elites paulistas? Foram publicadas no seu ex-blog sob o título: 'Paulicentrismo! De Afonso Pena a Getúlio Vargas. Ou como a elite paulista não é solidária nem na tragédia'. Ele faz interessantes colocações sobre Congonhas, José Serra, etc."

Abílio Neto

"O Cesar Vaia, acerta no atacado e erra no varejo, o que é compreensível. Acerta quando identifica uma elite predadora e separatista desde 1870, com o Manifesto de Itu que, na verdade, queria a supremacia política para os cafeicultores de S. Paulo. De lá para cá, passando por 1932, o que se viu foi a luta dessa elite pelo domínio da condução econômica e política. Nas poucas vezes que perdeu o controle, tentou virar a mesa, algumas vezes, como em 64 conseguiu e, agora, conseguiram impor Jobim a um Lula conservador, em que o lado conciliador falou mais alto. O ponto alto do que o Cesar Vaia chama de 'paulicentrismo', é a bobagem fascista do 'Cansei'. Não tem graça, pois os fascismos sempre foram alimentados por 'nacionalismos' e 'superioridades', como essa da elite paulista..."

Armando Silva do Prado

"Apesar de discordar do prefeito Cesar Maia em grande parte de suas manifestações políticas feitas em público, a virulenta reação externada em algumas opiniões demonstra que desta vez ele está com a razão. Afirmações do tipo 'o Brasil gira em torno de São Paulo', ou 'e o Rio está cercado de bandidos (como se São Paulo também não estivesse)', são lamentáveis, e acabam por autenticar as afirmações daquele político."

Ailton de Oliveira Pereira

"A centralização de vôos e escalas em São Paulo é uma aberração sim e tem de acabar. Temos que nos prevenir de outros desastres e respeitar a vida e o tempo dos passageiros. Economizar combustíveis - que têm custos diferenciados nos aeroportos - ajuda o meio-ambiente e nós, os brasileiros, esperamos que se aproveite melhor a vida útil das aeronaves que são caras e importadas. Tornar viagens mais longas como o ex. do porto-alegrense que para ir a uma cidade argentina ter que passar por São Paulo, não aumenta nem diminui a importância da capital paulista. Pode até diminuir a possibilidade de faturamento de alguns empresários, mas, os interesses do cidadão estarão em primeiro plano. Já tivemos - e ainda temos resquícios - a república dos coronéis, dos generais e agora temos a dos bacharéis. Exigir-se que alguém se ajoelhe nos mostra bem como se comportam alguns integrantes dessa república e das diversas 'buchas' que detém o poder nesse País sejam quais forem seus governantes. As críticas do Cesar Maia não têm o caráter de ofender paulistas mas sim de chamar a atenção para as elites, não só paulistas - da qual fazemos parte - refletirem melhor sobre suas práticas, seus interesses e suas responsabilidades. Parabenizo-o pelo puxão de orelhas em todos nós e torço para que nem mesmo os generais sejam rancorosos e exijam que alguém fique de joelhos para concordar ou discordar do que acontece nesse País."

Ivan Luiz Colossi de Arruda

"Gostaria de cumprimentar o dr. César Augusto Hülsendeger, gaúcho, pelo que registrou nesse Migalhas. Como paulistana, não fico nem um pouco contente em ver todo o Brasil tendo que se deslocar até aqui pra receber tratamento médico, pegar avião, etc. Tenho um irmão que se trata no HC desde o nascimento, e desde pequena ouço meus pais dizerem que encontram pessoas que vêm de muito longe pra serem atendidas. Empregos, saúde, enfim, gente de todo lado vem pra cá pra tentar 'sobreviver'! É mais do que óbvio que há uma falta de interesse político em desenvolver o resto do país, agora só não sei dizer se a 'bucha' tem algo com isso... Mas que meu sonho (e posso dizer até que é um pouco de egoísmo) é ver cada um na sua terra, isso é verdade! Podendo desfrutar do que há de melhor; a família, os amigos da infância, a cultura, etc. ... Fico indignada ao ver quantas famílias se separam por causa da falta de trabalho nos outros Estados! É de cortar o coração! Tomara o sr. prefeito do Rio de Janeiro iniciasse um movimento para desenvolver o Brasil, e não perdesse tempo falando dos paulistanos, que como eu, garanto que gostariam de ver toda a nação grande como somos!"

Cibele Giuzio

"Não se pode dar crédito a um prefeito (Há 16 anos) que não cuida da Cidade, só do Pan e de obras quase todas inúteis ou até prejudiciais à Cidade."

Fernando Carlos Chagas Diniz

"Tanto o provinciano Cesar Maia, como o Thiago Rachid (que também deve ser provinciano), perderam uma boa oportunidade de ficar quietos. Melhor faria Cesar Maia se olhasse para sua cidade onde nas mãos do tráfico morrem mais do que no acidente aéreo da TAM. Infelizmente o tacanho provincianismo faz esses 'iluminados' esquecerem que todos somos brasileiros e o que afeta um afeta a todos..."

Luiz Carlos Jimenez

"O que poderia se esperar do Cesar Maia? Aliás, o que se pode esperar de um representante do DEM (PFL)! Isso tudo que ele disse é dor de cotovelo, porque São Paulo é, e sempre será, o melhor Estado da nação! Daqui é que saem as grandes decisões do país. Quem sabe se a Capital do Brasil fosse aqui, não haveria tanta corrupção. A 'Locomotiva do País' está muito à frente, principalmente os 'cariocas sangue-bom'! Mas, nem todo carioca é pulha como o 'Alcaide da Cidade Maravilhosa'!"

André Rogério Graça

"Tenho engulhos nauseantes só de ler o nome desse sátrapa. Déspota esclarecido, está destilando, pelos poros encardidos, uma necessidade que lhe devora as entranhas desde sempre, digna de dó. O Rio de Janeiro, pelo que representa para nós todos, não merecia um trânsfuga desses. Sinceramente, Sr. Maia, recolha-se à sua insignificância!"

José Gabilan

"Quem põe os dedos no teclado e sai escrevendo o quer, terá que ler o que não quer... Convido paulistanos e paulistas para perdoar o prefeito da cidade ma-ra-vi-lho-sa! Também vamos convidá-lo, recebê-lo de braços abertos para um café e em seguida para um curso extensivo com módulos: A) Como Administrar uma Cidade; B) São Paulo compartilhando conhecimentos; C) Segurança Pública qualitativa; D) Planejar e trabalhar; depois, Praia! E) Planejar e trabalhar; depois Carnaval! F) A Gestão do Conhecimento de São Paulo... O comentário inocente do prefeito do RJ deve ser considerado um caso à parte, quero acreditar que o prefeito falou por ele, e não pelos cidadãos cariocas que merecem muito respeito e que também os amamos e serão muito bem-vindos, os cariocas, os capixabas, os sergipanos, americanos, russos, afegãos... Está perdoado prefeito!"

Joelma Guerra

"Um mar para São Paulo. Este texto, por mim já publicado anteriormente, vem bem a propósito de recentes declarações do senhor Cesar Maia, alcaide do Rio de Janeiro, manifestando sua idiossincrasia a paulistas e paulistanos. Há algum tempo, diante da reclamação de um viajante brasileiro, que viera para a cidade de São Paulo a negócios e a passeio, segundo a qual esta metrópole não possuía mar e praia, para o merecido relax de final de tarde e de semana, escrevi uma crônica, dizendo que ele não perderia por esperar. Com efeito, nós, paulistas, com o nosso espírito empreendedor e até mesmo com a nossa mania de grandeza, estávamos preparando uma surpresa para os turistas que aqui venham aportar. Na comemoração dos 500 anos de existência desta cidade, será inaugurado o mar de São Paulo, dotado de todas as colorações desejadas e cercado de praias típicas, que reproduzam o litoral brasileiro. Através de enormes dutos e tubulações subterrâneos, resultado de projetos da engenharia paulista, o oceano Atlântico chegará até a cidade de São Paulo. E, aí, poderemos proclamar com orgulho: 'habemus praia'! Todavia, acontecimentos recentes, denunciados por patriotas de múltiplas faces, poderão inviabilizar a realização e aproveitamento daquela idéia. O Estado de São Paulo está sendo excluído do mapa do Brasil. Aliás, livrarias e papelarias de São Paulo já dispõem de exemplares da nova carta física e geográfica do país, disponíveis para os demais Estados da União. Como faremos? Para onde São Paulo será deslocado? E se for, de castigo, para o meio de um deserto? Ou se for negociado com uma potência estrangeira? Quem sabe dado em pagamento da dívida externa? A melhor solução talvez seja simplesmente reinventar São Paulo. Mudar de nome. Destituí-lo de todos os seus títulos. Desapropriar, sem qualquer indenização, todo o seu patrimônio, constituído por complexos hospitalares, estabelecimentos de ensino, comerciais e industriais, instituições culturais, técnicas e científicas, distribuindo-o ao restante do país, para ser gerido e administrado, obviamente, por pessoas idôneas, competentes e não comprometidas com a corrupção. Porém, não se enganem: renasceremos das cinzas!"

Romeu A. L. Prisco

"Pela primeira vez na vida o Cesar Maia faz uma análise séria e sensata. A mídia quis jogar o acidente no colo do presidente Lula, pois não convém uma análise profunda do problema e de quebra a mesma mídia começa pautando a campanha 2008."

Selma Maria Estivalet Gindri Dorneles

"Nessas horas difíceis, o que mais aparece é gente criticando. De um administrador público o mínimo que se espera é uma crítica construtiva, ao menos solidariedade. Porém, a 'Caesar', o perdão. Afinal, o apelido dele por lá é 'Menino Maluquinho', e como ensinado no Largo, inimputável."

Fabio Henrique Calil Gandara

"Se cada capital deste enorme País tivesse a grandeza de São Paulo, decerto seríamos contemplados como país de Primeiro Mundo em todos os aspectos (rotas diretas para outros países em todo o território nacional, empregos dignos, hospitais de excelência e referência médica, Embraer, etc.). Mas, sendo culpa ou não das 'buchas', estamos fadados a ser um Emergente que nunca emerge. No mais, para escrever dessa maneira sobre São Paulo e a elite paulistana, o prefeito do Rio devia estar com uma diarréia mental aguda. Em tempo: a maioria das grandes cidades em todo o mundo tem seus aeroportos em áreas densamente povoadas."

José Eduardo Victor - Jaú/SP

"Prefeito, acho que você confundiu tudo, não é 'bucha', é 'tocha', não é 'São Paulo', é 'Brasil' e o Rachid é da RFB. Se situa e presta atenção."

Cesar Ziner

"Acho que quem não é solidário nem na tragédia é o Ilmo. Sr. Cesar Maia, que usa um acidente como este para expressar seu desafeto, que mais me parece inveja, por um povo que é igual a qualquer outro, seja ele carioca, mineiro, capixaba ou de qualquer outro local do imenso Brasil, mas que para a ira do citado cidadão, não tão ilustre, se destaca entre os demais Estados brasileiros. Caro Cesar Maia, talvez a 'bucha' possa ajudá-lo para que os morros cariocas com todos os seus líderes traficantes incontroláveis, não continuem transfundindo o sangue de trabalhadores e gente honesta, que por 'buchas' mais secretas ainda não possuem condições de levar uma vida digna e precisam se sujeitar à violência escancarada que é a cidade maravilhosa. Acho que melhor destaque alcançaria o não tão ilustre governante, se utilizasse tragédias como essa para ressaltar a urgência que o caso requer, a urgência que os governantes precisam ater-se para solucionar o caos aéreo e não usá-la para expressar sentimentos pautados na mediocridade. Mas aí está o perfil da política brasileira, pautada na mediocridade. É uma lástima."

Márcia Regina Fernandes de Amorim

"Até a leitura desse artigo eu achava o Cesar Maia muito repugnante. Retiro o 'muito', agora. Finalmente um texto de bom senso!"

Márcio Silva de Lira

"O que você gostaria de ser, era ser paulista, mas graças a Deus não o é! Não use vidas humanas e tragédias para palanque eleitoral! Uno-me às vaias que você recebeu no encerramento do pobre Pan!"

Maria Helena Gualberto

"Excelentíssimo Editor, inicialmente, como de costume, parabenizo pela excelente edição deste hebdomadário que circulou no dia de ontem. Entretanto, não posso deixar de tecer breves comentários sobre as declarações do Prefeito Cesar Maia e as tão ou mais preconceituosas respostas que estas mereceram. Diversos leitores, em resposta à uma atitude que consideraram agressiva à cidade de São Paulo, teceram comentários tão agressivos quanto, alguns mais até, com relação à cidade do Rio de Janeiro. Dispensa dizer comentar o caráter complementar que uma cidade exerce sobre a outra. O que falta em São Paulo, sobra no Rio e o que falta no Rio abunda em São Paulo. Os problemas sociais são os mesmos, em diferentes manifestações. Alguns leitores de forma bastante agressiva mencionaram os problemas com relação a violência que afligem a cidade do Rio de Janeiro. Entretanto, esquecem-se que o mesmo problema aflige São Paulo. Se no Rio algumas áreas urbanas são conflituosas, onde até mesmo a polícia não tem presença significativa, em São Paulo ocorre o mesmo, por mais que alguns paulistanos não queiram concordar. Alguns diriam que ocorre em escala agravada. Assistimos, não faz muito tempo, a atos de terrorismo em série praticados por uma facção criminosa de São Paulo. Prédios públicos (presídios) - onde polícia, assim como nas favelas cariocas, nem ao menos tenta impor sua autoridade - são usados como escritórios para planejamento de ataques contra a própria autoridade do 'Eestado' (maiúsculo e minúsculo). Chegam a mencionar de forma jocosa o fato de que por anos seguidos um famoso macaco do zoológico da cidade do Rio, muito querido pelos cidadãos da cidade em função de sua idade e costumes peculiares, foi campeão de votos. Mas esquecem, ou ignoram, que não tem muito tempo um rinoceronte (cacareco) quase se tornou Edil desta cidade também. Um deles conclama, inclusive, os paulistanos a pegarem em armas inspirados pelo golpe - ou revolução - de 1932. Verdadeiro absurdo, que ao invés de colocar por terra as acusações do prefeito quanto ao egocentrismo dos paulistanos acaba por, desastradamente, lhe dar certa razão. Concluo, lamentando o fato de ao invés de repudiar as alegações do prefeito - como eu o faço agora - do Rio de Janeiro, alguns leitores que comentaram as declarações - em sua maioria paulistanos - acabaram por estimular posições preconceituosas, injustas e desmerecidas como a do Alcaide. Estimulando que a parte da banca carioca ao invés de se posicionar contra as declarações do prefeito, ante as agressivas manifestações dos paulistanos, acabem por - emotivamente - se colocar ao seu lado. Abraços do leitor, um carioca de coração completamente apaixonado por São Paulo."

Luiz Octavio Gonçalves

"Depois desse texto do sr. Cesar Maia, volto a concluir que o carioca é um povo gozador por excelência. Só assim colocariam um indivíduo desses para os governar. Melhor seria ter votado no Cacareco. Quanta asneira, quanto desserviço a dois Estados importantíssimos da federação. Não pode existir brasileiro mais nefasto que esse indivíduo. Perdeu um boa oportunidade de ficar calado!"

Hersil Torres

"Todos sabemos que o prefeito não cuida da cidade, mas seu texto fez que preconceitos e pretensões fossem revelados. Há quem diga que sem D. João VI a cidade do Rio de Janeiro seria hoje o que é a cidade de Santos. Assim, também, nosso JK com seu contagiante entusiasmo ajudou a beneficiar São Paulo. Um degrau na subida para a desigualdade: mais utilização de BSB e CFN, o país ficará mais equânime; São Paulo um pouco menos arrogante e o RJ mais realista lembrando que não é mais a Corte, aliás já a quase cinqüenta anos. Pindorama só tem a ganhar!"

Cidrac Pereira de Moraes

"Certamente o ilustre prefeito carioca Cesar Maia tem exemplos de solidariedade para nos ensinar a nós paulistas. Sugiro que ele se prontifique a socorrer pessoalmente a massa de cidadãos acuados pela 'guerrilha urbana' das inúmeras facções do tráfico de drogas da cidade do Rio de Janeiro, a começar pelo complexo do Alemão, ou ao menos cumpra o seu dever de homem público e tome providências para conter a violência desenfreada da Cidade Maravilhosa, senão por dever público, ao menos movido por solidariedade..."

Luciano Klaus Zipfel

"O Sr. Cesar Maia, político fanfarrão, deveria reverenciar-se ao se referir a São Francisco. Quanto ao conteúdo de suas sandices, aquelas não valem o esforço da digitação e nem o desperdício do tempo."

Clarice Bagrichevsky

"Sr. Cesar, informamos que nós os paulistas, levamos a sério os dizeres constantes do nosso Brasão 'PRO BRASILIA FIANT EXÍMIA', que significa: 'pelo Brasil façam-se grandes coisas'. Inveja, não irá nos deter!"

Rosa Maria Pardubszky

"'Se o Rio de Janeiro estivesse às margens do Prata, não teria que se envergonhar somente da sua incomensurável inferioridade em relação a Buenos Aires, mas ao pé da própria Montevidéu seria apenas alguma cousa capaz de lembrar um bairro chinês ao pé de um jardim da Europa à beira do Mediterrâneo. Não há, entretanto, nem entre as mais formosas paisagens da Europa meridional, nem na bacia platina, nem noutra qualquer das mais belas regiões do mundo, um sítio, onde a natureza criadora houvesse empregado a arte, o carinho, a prodigalidade em que se desentranhou neste mimo, onde os nossos antepassados engastaram a capital do país. Deu-lhe todas as altitudes nas suas colinas e montanhas. Juntou em torno dela o áspero oceano, a baía semeada de ilhas como o mar da Jônia, a lagoa remansosa. Dos seus morros estendeu os panoramas de uma Suíça sem neves. Pôs-lhe no seio, que se abre às ondas, as graças de Sidnei, de Nápoles, de Istambul'. Rio de Janeiro, DF - Obras Completas de Rui Barbosa. V. 25, t. 1, 1898. p. 174. Tenho dentro de mim, que se o dublê de consultor político, no que toca ao Sr. Cesar Maia se espelhasse ou estudasse um pouquinho de História do Brasil, em vez de ficar ofendendo sem conhecimento, os Paulistas, leria este trecho do Grande Mestre Rui Barbosa, e tomaria alguns cuidados antes de abrir sua matraca para falar o que não deve. Pagaria caro pra ver se caso o Grande Mestre Rui pudesse vir fazer uma visita ao Rio de Janeiro do Século XXI, se ele afirmaria com tanta paixão o que foi dito neste singelo pensamento que refletia a beleza da Então 'Cidade Maravilhosa'. Ele não conhece ou finge não conhecer a realidade do Brasil, e se o país se encontra nessa situação foi por descaso de homens que como ele, não pensaram em nosso país como uma União de Estados Federados ou como uma Grande Nação, mas sim como instrumento para suas vaidades particulares, e de manobra para fomentar seus 'Currais Eleitorais'. Que fique registrado neste informativo aos meus amigos migalheiros: A indignação de uma goiana, que acima de tudo respeita seus iguais e seu país, e que vê a Região Centro - Oeste, que nada mais nada menos é o Celeiro do Brasil, ser relegado a segundo ou terceiro planos, por conta de políticas protecionistas feitas e produzidas por seres insignificantes, e que como este senhor faz ene trapalhadas em vez de trabalhar, sendo que os grandes vultos do povo goiano por várias vezes quando chegam a ocupar posições de destaque em nosso país em todos os segmentos tem de suportar comentários, chacotas e avacalhações de toda a espécie principalmente de cariocas e paulistas sem cultura - e diferente deste dublê de consultor político, trabalhamos firmemente e como diria Ivan Lins 'Com Força e Com Vontade' para mostrar nosso valor, como meus irmãos goianos estando estes aqui ou no exterior. Que este enfie a viola na sacolinha, e vá ler um pouco mais antes de proferir impropérios contra quem não é obrigado a ouvir comentários do gênero e não tem nada a ver com seus desvarios."

Fernanda Santos - Goiânia/GO

"Criticar o autor do texto? Para quê? O 'trabalho' realizado pelo Sr. (só assim chamado por pura benevolência) Cesar Maia fala por si... Soube, por um amigo morador do Rio de Janeiro, que, para fugir dos riscos de bala perdida, seqüestros e demais mazelas cariocas, é possível, por R$ 5,00, embarcar em uma Van blindada e ser deixado 'são e salvo' do outro lado da cidade... Essa é a herança deixada por ele a uma das mais importantes cidades do país, serviço de transporte com blindagem... Vai ver que é isso que ele entende por segurança..."

Ana Coelho

"Radamés Manoso é engenheiro curitibano e produtor de conteúdos educacionais para a internet. É de seu site, radamesm.wordpress.com, que tirei um trecho do artigo 'Factóides', onde escreve: 'Como bem definiu o Sr. Cesar Maia, um factóide é uma informação irrelevante que não leva a lugar nenhum, mas que tem o poder avassalador de colocar quem o cria sob os holofotes da mídia. Reparem a energia criadora do Sr. Cesar Maia. Ele condensou a palavra fato, com o sufixo óide, que todos nós sabemos remete a algo que apenas imita as formas do autêntico. Caso o Sr. Cesar Maia seja lembrado no futuro apenas pelos factóides que criou, ao menos lhe restará o consolo de ter introduzido uma palavra sob medida para descrever uma lamentável realidade da sua administração e do seu tempo'. Cesar Maia é reconhecidamente um especialista criador de factóides. É esse, exatamente seu estilo político. É habilíssimo em medidas políticas e opiniões vazias, sempre polêmicas, irrelevantes, não raro falsas, divulgadas com muito alarde com o intuito de chamar a atenção da mídia. É pena que muitos migalheiros caíram na isca e não resistiram em responder exatamente da forma que o alcaide do Rio de Janeiro esperava, alimentando uma polêmica falsa, bem ao seu gosto. Os disparates de Cesar Maia, mais um mero factóide, mereciam, tão somente, cair no olvido, e nada mais."

Wilson Silveira - CRUZEIRO/NEWMARC PROPRIEDADE INTELECTUAL

"Como pode uma pessoa que ocupa uma cadeira no Executivo, de uma das mais importantes cidades do país, jogar uns contra os outros com o seu preconceito e oportunismo barato, sem prever a conseqüência que essa atitude pode gerar. Continue nesse seu 'mundinho' de hipocrisia e que os cariocas de verdade não paquem pela sua falta de ética."

Lineu dos Santos - Guarujá/SP

"Acho que qualquer pessoa tem o direito de externar sua opinião, por mais que dela eu eventualmente discorde. Melhor isso do que a censura. O que não dá para entender é por que motivo o prefeito de Belo Horizonte está gastando dinheiro de seu município para fazer propaganda na TV da desprezível São Paulo a respeito de seus feitos municipais, assunto que, em princípio, só interessa a quem é administrado por ele. Será que o Cesar Maia consegue explicar isso?"

A. Cerviño - SP

"Ex-blog do ex-prefeito, que barbaridade. Se o Rio vive uma decadência a culpa não é dos paulistas, não adianta falar bobagens que isso não irá mudar a realidade. Inveja não constrói, trabalhe que é melhor."

Erivaldo Coelho Bastos

"Muito me admira o prefeito do Rio e Janeiro proferir tais palavras... É bom não esquecer que não é somente São Paulo que centraliza as coisas no Brasil... É exatamente o eixo São Paulo - Rio de Janeiro... Ou está ele se esquecendo de qual cidade foi escolhida para o LiveEarth? Qual foi escolhida para celebrar o Pan? Qual tem umas das sete maravilhas do mundo?"

Luciana Coelho

"O prefeito Cesar Maia deveria ter (deveria) mais respeito e dignidade ao proferir tamanha asnice. Vê-se logo que ele é prefeito (político?), e falta-lhe saber mais profundo para que possa tecer críticas aos ex-alunos e alunos da Faculdade de Direito do Largo de São Francisco (USP). Sr. prefeito, vá trabalhar e ler mais." 

Augusto Bernardino Marques

 

_____________

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 31/7/2007 09:57