quinta-feira, 28 de janeiro de 2021

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

OAB/SP lança campanha de combate à violência doméstica e cartilha da saúde da mulher

quarta-feira, 5 de março de 2008


Comissão da Mulher Advogada

OAB/SP lança campanha de combate à violência doméstica e cartilha da saúde da mulher

O presidente da OAB/SP, Luiz Flávio Borges D'Urso, e a primeira-dama do Estado, Mônica Serra, abriram ontem a Campanha Contra a Violência à Mulher - 2008 e de prevenção à saúde feminina, com o lançamento da Cartilha Saúde da Mulher, coordenada por Maria Célia do Amaral Alves. Ambas iniciativas da Comissão da Mulher Advogada da OAB/SP e fazem parte das homenagens ao Dia Internacional da Mulher, comemorado no dia 8 de março.

"A perspectiva para o futuro é o crescimento da atuação da mulher na sociedade. No entanto, muitas mulheres têm um dia a dia cruel. Elas são discriminadas, sofrem preconceito, intolerância só por ser mulher. E nós precisamos lutar contra isso. Precisamos concretizar a igualdade e, principalmente, lutar contra o maior problema das mulheres: a violência, que atinge as mulheres todos os dias, afeta a família, é crime e precisamos reagir", afirmou D'Urso, na abertura do evento.

Segundo ele, a conscientização contra a violência à mulher deve ser permanente. "E se a mulher não tem como reagir, reagiremos por ela. Se ela não denunciar, denunciaremos por ela. Portanto, o compromisso da OAB SP é esse, levar a campanha às 218 subsecções, às unidades forenses e a todos os lugares possíveis e espalhar o slogan 'Quantas vezes ainda vamos apanhar para aprender'", explicou o presidente.

Prevenção à saúde da mulher

A presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB/SP, Helena Diniz, explica a preocupação da OAB/SP com a saúde da mulher, que suplantou os homens entre o total de inscritos da Seccional. "A mulher hoje é portadora de doenças que eram características dos homens. As doenças do coração hoje são mais danosas do que as chamadas doenças específicas das mulheres. O índice de doenças do coração aumentou 27% em comparação às DST. O quadro se modificou, próprio da atividade exaustiva dela, com jornadas duplas, muitas responsabilidades", explica Diniz.

Diante desta realidade, a Ordem e a CAASP decidiram divulgar a Cartilha "Saúde da Mulher" de prevenção e orientação, ontem dentro das comemorações da Semana da Mulher. Nesta primeira edição foram impressos 10 mil exemplares, que explica as principais doenças, como cancelos de colo do útero, endometriose, osteoporose, Aids, DST, hepatites, tabagismo, com referência bibliográfica básica para quem quiser ampliar os conhecimentos. Elas serão distribuídas nas comunidades de base mais importantes do Estado. A OAB/SP, por meio da Caixa de Assistência dos Advogados também realiza anualmente da Campanha da Saúde da Advogada para orientar e prevenir doenças tipicamente femininas, como o câncer de mama.

No evento, a primeira-dama Mônica Serra falou sobre a campanha Colar da Vida, voltada a combater o câncer de mama, da qual é a idealizadora, e desenvolvida pelo Instituto Se Toque, criado por ela em 2005. "Apesar de tantas campanhas contra o câncer de mama, percebi que as mulheres estavam surdas para os apelos. Os números mostravam que o aumento nos casos de câncer de mama eram superiores ao crescimento da população feminina. Então pensei como poderia contribuir, já que nos contatos com a população feminina mais vulnerável à doença percebi que elas não fazem a mamografia porque têm medo de descobrir o câncer e porque o exame é dolorido, dizem elas. Aí surgiu a idéia de ensinar as crianças à necessidade da prevenção", explica Mônica.

Segundo Mônica Serra, a idéia do colar da vida, formado por pérolas de diversos tamanho, surgiu de uma pergunta simples - Por que as mulheres continuam morrendo de câncer se é uma doença que tem cura e da constatação que as crianças vinham sendo os melhores agentes tabagistas e mudando hábitos de saúde em suas famílias "Por que não usar as crianças, no bom sentido, para serem agentes hábitos de prevenção de câncer de mama. O colar é um ótimo instrumento educativo, porque pelo tamanho das pérolas é possível ter uma idéia do grau de periculosidade do nódulo, tudo passado através de historinhas, dando todas as informações para a criança levar para a mãe, para que ela faça o auto-exame, se toque, se lembre", explica Mônica.

Eduardo Blanco Cardoso, mestre, doutor e pós-doutor em Ginecologia pelo Departamento de Ginecologia da Faculdade de Medicina da USP, encerrou o evento com uma palestra sobre a "Saúde Integral da Mulher". Segundo ele, dados de 2006 do Instituto Nacional do Câncer mostram que 48.930 mulheres tiveram câncer de mama. Destas, 10 mil morreram. "É a principal causa de morte entre mulheres. Já o câncer de colo mata mais de 5 mil mulheres por ano". Realizando uma palestra prática, finalizou observando que as mulheres só se cuidarão quando conhecerem melhor suas necessidades e direitos.

Além do presidente D'Urso, da primeira-dama do Estado Mônica Serra, participaram da mesa dos trabalhos Sidney Uliris Bortolato Alves, presidente da CAASP, Alves; Tallullah Carvalho conselheira e diretora adjunta da Mulher Advogada, Helena Maria Diniz; presidente da Comissão da Mulher Advogada e presidente da Subsecção da Lapa; Clarice D'Urso, integrante da Comissão da Mulher Advogada, Maria Célia do Amaral Alves, coordenadora da cartilha Saúde da Mulher; Lúcia Bludeni, presidente da Comissão do Terceiro Setor e Ancila D'Urso.

_________
_____________

Leia mais

  • 3/3/2008 - OAB/SP lança nova campanha contra a violência à mulher - clique aqui.

_____________________

________________

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 5/3/2008 08:01