segunda-feira, 25 de janeiro de 2021

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

MPF responsabiliza ex-chefes do Doi-Codi por torturas, mortes e desaparecimentos

sexta-feira, 16 de maio de 2008


1970 a 1976

MPF responsabiliza ex-chefes do Doi-Codi por torturas, mortes e desaparecimentos

O MPF/SP entrou anteontem com uma ação pública contra a União e os dois ex-comandantes ainda vivos do Doi-Codi, do 2º Exército, em São Paulo, no período de 1970 a 1976 - Carlos Alberto Brilhante Ustra e Audir Santos Maciel.

Na ação, o MPF acusa o Exército de ser o responsável pelo sigilo ilegal de documentos do Doi-Codi de São Paulo e pede que os ex-comandantes do órgão sejam pessoalmente responsabilizados por torturas, mortes e desaparecimentos.

Os procuradores da República Eugênia Augusta Gonzaga Fávero, Marlon Alberto Weichert, Adriana da Silva Fernandes, Luciana da Costa Pinto, Sergio Gardenghi Suiama e Luiz Fernando Gaspar Costa, que assinam a ação, requerem à Justiça o reconhecimento do dever das Forças Armadas de revelar o nome de todas as vítimas do Doi-Codi de São Paulo, as circunstâncias de suas prisões e os atos de violência que sofreram, bem como tornar públicos todos os documentos relacionados ao funcionamento do órgão; e a declaração de que Ustra e Maciel comandaram um centro de prisões ilegais, torturas, homicídios e desaparecimentos forçados no Doi-Codi de São Paulo.

Os procuradores ainda pedem que Ustra e Maciel sejam obrigados a reembolsar à União os custos das indenizações pagas, na forma da lei, às famílias das 64 vítimas do destacamento durante a gestão dos demandados, e que ambos sejam condenados a não mais exercerem qualquer função pública.

____________________

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 16/5/2008 08:36