domingo, 24 de janeiro de 2021

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Constitucionalidade da prisão temporária é questionada no Supremo

"A prisão temporária, conhecida como prisão para averiguações, foi rejeitada pelo governo dos militares, por haver sido considerada flagrantemente antidemocrática." Com esse entendimento, o PTB ajuizou no STF uma ADIn 4109, com pedido de liminar, contra a Lei 7.960/89, que disciplina o instituto.

quarta-feira, 16 de julho de 2008


Prisão temporária

Constitucionalidade da prisão temporária é questionada no Supremo

"A prisão temporária, conhecida como prisão para averiguações, foi rejeitada pelo governo dos militares, por haver sido considerada flagrantemente antidemocrática." Com esse entendimento, o PTB ajuizou no STF uma ADIn 4109 - clique aqui, com pedido de liminar, contra a Lei 7.960/89 (clique aqui), que disciplina o instituto.

Para a legenda, a redação imprecisa da lei questionada provoca infindáveis controvérsias nos meio jurídicos. O PTB afirma entender que a prisão temporária, além de agredir a garantia do devido processo legal, ultrapassa a razoabilidade dos objetivos que busca.

Outra inconstitucionalidade flagrante da prisão temporária seria o desrespeito ao artigo 5º, inciso XLII, CF/88 (clique aqui), que afirma que "ninguém poderá ser tratado como culpado, qualquer que seja a natureza do ilícito penal cuja prática lhe tenha sido atribuída, sem que exista a esse respeito, decisão judicial condenatória, transitada em julgado".

Além do mais, o partido trabalhista entende que o instituto da prisão temporária já se demonstrou ineficaz em auxiliar a segurança pública. Em vigor desde 89, não apresentou resultados no que se refere à diminuição da criminalidade. "Ao contrário, nesses últimos 19 anos, as estatísticas criminais têm registrado, sublinhe-se, inquestionável aumento, especialmente nas cidades de maior porte."

24 horas

A determinação contida na lei, de que o juiz deve decidir o pedido de prisão temporária no máximo em 24 horas também é um exagero e teria o objetivo, segundo o partido, de impedir que o magistrado tenha a possibilidade de sequer examinar os autos, concedendo a prisão sem uma análise detalhada dos autos.

"A prisão temporária serve, de fato, para produzir tão somente grande repercussão na mídia, gerando a falsa impressão de que tudo foi resolvido", alega o partido político. O resultado que se busca com a prisão para averiguações é a obtenção de confissões, não raro com o emprego inconstitucional da tortura, salienta a ainda o PTB, pedindo ao Supremo que declare a inconstitucionalidade da Lei 7.960/89, com as alterações produzidas pelas Leis 8.072/90 (clique aqui) e 11.464/07 (clique aqui).

_____________

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 16/7/2008 09:25