sábado, 23 de janeiro de 2021

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Júri popular

Caro leitor, chegamos ao ponto alto de nossa homenagem aos 100 anos da morte do escritor Euclides da Cunha. Agora você poderá reescrever a história e determinar se Dilermando de Assis é inocente ou culpado pela tragédia de Piedade.

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Júri migalheiro

Assassino de Euclides da Cunha é culpado ou inocente ?

Caro migalheiro, chegamos ao momento decisivo de nossa homenagem aos 100 anos da morte do escritor Euclides da Cunha.

Agora você poderá reescrever a história e determinar se Dilermando de Assis é inocente ou culpado pela "Tragédia de Piedade". Teria ele agido em legítima defesa ? Houve excesso ?

Para que você, leitor, pudesse encontrar respostas às inquietantes perguntas, nas matérias que trouxemos ao longo das últimas duas semanas (v. abaixo) procuramos retratar a trajetória desse genial escritor, destacando aspectos de sua vida pessoal e profissional, inclusive as que foram ligadas ao meio jurídico.

Vimos, no princípio, as relações de amizade de Euclides que certamente influenciaram sua produção intelectual. Vimos a habilidade do escritor não apenas em sua área de formação - engenheiro que era -, como também nas humanidades, com seu olhar geográfico, social e econômico sobre Canudos.

Destacamos também passagens curiosas d'"Os Sertões", que revelam as preocupações de Euclides em retratar traços de pessoas e situações envolvendo vertentes relacionadas à "disciplina da convivência humana" e, por fim, mergulhamos na trágica história que culminou com sua morte.

Nessas últimas matérias fizemos questão de apresentar, como não poderia deixar de ser, o homem Euclides - com toda sua fragilidade, ansiedade e desespero - por trás do brilhante engenheiro e escritor. Isso tudo para poder vislumbrar os angustiantes momentos que antecederam sua ida à Piedade, quando teve a vida ceifada pela bala do revólver de Dilermando de Assis.

Recontado todo o episódio - abrindo ampla defesa para os argumentos do réu Dilermando -, consultado os autos do processo do assassinato do escritor e auxiliado pelo distanciamento histórico que hoje temos dos fatos, Migalhas abre a sessão e o escolhe compulsoriamente para sentar na cadeira de jurado.

Em sua opinião, Dilermando é culpado ou inocente no episódio que levou à morte Euclides da Cunha ?

Como em todo júri, aqui também o voto é secreto e a decisão é soberana :

##enquete##

_____________

Livro Migalhas de Machado de Assis

______
_____________

Leia mais

  • 3/7/09 - A soberana decisão - clique aqui.
  • 2/7/09 - Júri popular - clique aqui.
  • 1º/7/09 - O libelo acusatório e a contrariedade ao libelo - clique aqui.
  • 30/6/09 - A denúncia e a pronúncia do réu - clique aqui.
  • 29/6/09 - Para matar ou morrer - clique aqui.
  • 29/6/09 - Euclides da Cunha: a cidade da Campanha, os amigos e o direito - clique aqui.
  • 26/6/09 - O estopim da guerra de Canudos - clique aqui.
  • 25/6/09 - Legislativo e Judiciário em Canudos - clique aqui.
  • 24/6/09 - O curioso caso do vaqueiro - clique aqui.
  • 23/6/09 - Antônio, conselheiro jurídico - clique aqui.
  • 22/6/09 - O olhar econômico de Euclides da Cunha - clique aqui.
  • 19/6/09 - O olhar geográfico e social de Euclides da Cunha - clique aqui.
  • 18/6/09 - Euclides da Cunha às voltas com o Direito - clique aqui.
  • 18/6/09 - Euclides da Cunha nas Arcadas - Íntegra da conferência "Castro Alves e seu tempo", proferida em 2/12/1907 - clique aqui.

_____________

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 16/6/2009 12:00