O que saiu em Migalhas sobre Ana Luiza
Migalhas

O que saiu em Migalhas sobre Ana Luiza

Ana Luiza Daólio

Ana Luiza Daólio

Migalheira desde maio/2020.

Advogada da OGF Advogados. Graduada pela FACAMP. Especialista em Direito Penal e Processual Penal. Pós-graduanda em Direito Digital e Proteção de Dados.

Ana Luiza Duarte Pires de Castro

Ana Luiza Duarte Pires de Castro

Migalheira desde outubro/2009.

Advogada.

Ana Luiza Fernandes Calil

Ana Luiza Fernandes Calil

Migalheira desde julho/2017.

Ana Luiza Fischer Teixeira de Souza

Ana Luiza Fischer Teixeira de Souza

Migalheira desde setembro/2007.

Ana Luiza Maia Nevares

Ana Luiza Maia Nevares

Migalheira desde maio/2012.

Professora de Direito Civil da PUC-Rio. Doutora e Mestre em Direito Civil pela UERJ. Vice-Presidente da Comissão de Estudos Constitucionais da Família do Instituto Brasileiro de Direito de Família (IBDFAM). Membro da Diretoria do IBDFAM-RJ, do Instituto Brasileiro de Direito Civil (IBDCivil) e do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB). Advogada.

Ana Luiza Momm Ponsam

Ana Luiza Momm Ponsam

Migalheira desde março/2017.

Ana Luiza Niero

Ana Luiza Niero

Migalheira desde junho/2018.

Ana Luiza Peroni Centivilli

Ana Luiza Peroni Centivilli

Migalheira desde setembro/2019.

Ana Luiza Sversut Briante

Ana Luiza Sversut Briante

Migalheira desde junho/2020.

Ana Luíza Vicentine de Matos

Ana Luíza Vicentine de Matos

Migalheira desde agosto/2018.

Mariana Moreira

Mariana Moreira

Migalheira desde junho/2020.

/quentes
domingo, 24/1/2021

Representante ganhará horas extras por ter jornada externa monitorada

O entendimento é dos integrantes da 4ª turma do TRT da 4ª região.

... Tribunal. A desembargadora Ana Luiza Heineck Kruse, relatora do recurso, explicou que a CLT exclui os empregados que exercem atividades externas das normas de duração do trabalho. Mas frisou ser isso decorrência da impossibilidade de monitoramento...
Representante ganhará horas extras por ter jornada externa monitorada
/depeso
quinta-feira, 3/12/2020

Por que não uma nova Constituição: uma resistência nunca superada ao projeto constitucional

Em suma, o que o país precisa não é uma nova Constituição, mas que se respeite e implemente a atual.

... nova ordem. in BACKES, Ana Luiza; AZEVEDO, Débora Bithiah de; ARAÚJO, José Cordeiro (org). Audiências Públicas na Assembleia Nacional Constituinte: a sociedade na tribuna. Brasília: Biblioteca Digital da Câmara dos Deputados, 2009. Disponível...
Por que não uma nova Constituição: uma resistência nunca superada ao projeto constitucional
/amanhecidas
quarta-feira, 2/9/2020

MIGALHAS nº 4.929

Informações jurídicas de quarta-feira, 02 de setembro de 2020.

...sis Sentimentos na Justiça De "Ana Luiza" para "Luiza": uma mulher conseguiu no STJ a exclusão do prenome Ana, alegando que este a constrange, uma vez que foi escolhido por seu pai – que a abandonou ainda pequena. A decisão é da 4ª turma e...
MIGALHAS nº 4.929
/quentes
terça-feira, 1/9/2020

“Ana Luiza” para “Luiza”: STJ autoriza exclusão de prenome que lembra abandono paternal

Decisão é da 4ª turma, em caso relatado pelo ministro Antonio Carlos.

De “Ana Luiza” para apenas “Luiza”: uma mulher conseguiu no STJ a exclusão do prenome “Ana”, alegando que este a constrange, uma vez que foi escolhido por seu pai – que a abandonou ainda pequena. A decisão é da 4ª turma e foi liderada pelo...
“Ana Luiza” para “Luiza”: STJ autoriza exclusão de prenome que lembra abandono paternal
Aspectos atuais da Arbitragem
Webinar
segunda-feira, 17/8/2020

Aspectos atuais da Arbitragem

Cada vez mais, empresas e organizações têm recorrido à arbitragem como forma de buscar soluções mais rápidas, eficientes e econômicas, fora do Poder Judiciário. Além disso, o sigilo do procedimento ajuda a proteger a imagem das empresas envolvidas e preservar a relação comercial entre elas, possibilitando a geração de novos negócios. Mas o que tem ocorrido de novo no mercado arbitral? Quais as principais atualidades do procedimento arbitral? Para responder a essas perguntas, o Migalhas reuniu um time de especialistas no webinar que acontecerá no dia 17/8, às 17h, em parceria com a CAMES.

Ana Luiza Nery, Ana Cândida Menezes Marcato, Ana Paula Raeffray, Heitor Sica, Leonardo Carneiro da Cunha e Marcelo José Magalhães Bonizzi
/amanhecidas
quarta-feira, 23/10/2019

MIGALHAS nº 4.715

Informações jurídicas de quarta-feira, 23 de outubro de 2019.

Quarta-feira, 23 de outubro de 2019 - Migalhas nº 4.715.Fechamento às 8h59. Registro Migalhas anuncia que, a partir de hoje, conta com mais um Apoiador: Crissiuma Advogados Clique aqui "Ofício de julgar é de justiça, e de fazer...
MIGALHAS nº 4.715
/quentes
terça-feira, 10/9/2019

Braga & Moreno Consultores e Advogados cria clube de leitura para fortalecimento emocional dos colaboradores

No mês de prevenção ao suicídio, banca premia colaborador que escolher melhor frase de livro compartilhado entre a equipe.

... time é premiada”, explica Ana Luiza dos Santos, responsável pela gestão pessoal do escritório. Ainda segundo Ana Luiza, pesquisas mostram que o ser humano se torna a média das cinco pessoas com quem passa mais tempo. “Desta forma, pretendemos...
Braga & Moreno Consultores e Advogados cria clube de leitura para fortalecimento emocional dos colaboradores
/pilulas
sexta-feira, 9/8/2019

Braga & Moreno Consultores e Advogados completa 29 anos com dia repleto de novidades, workshops e happy hour

No último dia 1º/8, o escritório Braga & Moreno Consultores e Advogados comemorou 29 anos presenteando os colaboradores com um dia repleto de novidades, workshops e happy hour.   O workshop, ministrado pela equipe do Núcleo Sigma...

... qualquer situação", conta Ana Luiza dos Santos, responsável pelo departamento pessoal da banca.  Por esta razão que, como forma de preparar a banca para o evento, Ana Luiza teve a chance de participar de um curso de imersão chamado "Estratégias...
Braga & Moreno Consultores e Advogados completa 29 anos com dia repleto de novidades, workshops e happy hour
Crimes de Maio
TV Migalhas
terça-feira, 2/7/2019

Crimes de Maio

A juíza de Direito Ana Luiza Villa Nova, da 16ª vara da Fazenda Pública de SP, negou pedido de indenização que o Estado de SP teria de pagar aos familiares das vítimas do episódio que ficou conhecido como "Crimes de Maio". A magistrada reconheceu a prescrição da ação, já que ela foi ajuizada 12 anos após os dias de terror. Crimes de Maio No dia 12 de maio de 2006, a organização criminosa PCC - P...

Não há mais resultados para serem exibidos.