O que saiu em Migalhas sobre Flavio Batista Leite

O que saiu em Migalhas sobre Flavio Batista Leite

/quentes
segunda-feira, 21/1/2019

Conversa entre advogado e cliente sobre defesa não serve como prova

Para 1ª câmara Criminal do TJ/MG, o diálogo não pode influenciar na formação do convencimento do juízo.

...o caso, o desembargador Flávio Batista Leite, relator, verificou que o teor da conversa entre o advogado e o seu cliente se tratava de estratégias de defesa e da preocupação do investigado de ser suspeito da prática de um homicídio. O relator também pontuou...
/quentes
quarta-feira, 28/4/2010

Novos desembargadores tomam posse no TJ/MG

No fim da tarde desta segunda-feira, 26, as portas do auditório Ministro Carlos Fulgência da Cunha Peixoto, do TJ/MG, abriram-se para a posse do juiz sumariante do I Tribunal do Júri da capital, Nelson Missias de Morais, e do juiz da Vara d...

No fim da tarde desta segunda-feira, 26, as portas do auditório Ministro Carlos Fulgência da Cunha Peixoto, do TJ/MG, abriram-se para a posse do juiz sumariante do I Tribunal do Júri da capital, Nelson Missias de Morais, e do juiz da Vara d...
/amanhecidas
quinta-feira, 15/4/2010

MIGALHAS nº 2.367

Quinta-feira, 15 de abril de 2010 - Migalhas n? 2.367 - Fechamento as 12h11. "O coracao e ordinariamente um termo de que nos servimos, por decencia, para designar outro orgao. E precisamente esse orgao o unico que esta intere...

MIGALHAS nº 2.367
/quentes
quinta-feira, 26/11/2009

Juiz de MG prorroga licença-maternidade de servidora pública

O juiz Flávio Batista Leite, da 2ª vara da Fazenda Municipal, em Belo Horizonte determinou ao secretário adjunto de Recursos Humanos da Prefeitura da Capital que prorrogue a licença-maternidade da servidora pública do município Z.J.R. por m...

O juiz Flávio Batista Leite, da 2ª vara da Fazenda Municipal, em Belo Horizonte determinou ao secretário adjunto de Recursos Humanos da Prefeitura da Capital que prorrogue a licença-maternidade da servidora pública do município Z.J.R. por m...
/quentes
domingo, 19/7/2009

TJ/MG - Estudante indenizada por erro em exame de HIV

A 2ª câmara cível do TJ/MG condenou o município de Belo Horizonte a indenizar em R$ 20 mil a estudante G.E.P.O., que recebeu resultado de falso positivo em dois exames de HIV realizados através do SUS, em abril e junho de 2000.

Resultado errado TJ/MG - Estudante e indenizada por erro em exame de HIV A 2? camara civel do TJ/MG condenou o municipio de Belo Horizonte a indenizar em R$ 20 mil a estudante G.E.P.O., que recebeu resultado de falso positivo em d...
Não há mais resultados para serem exibidos.