quarta-feira, 25 de novembro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

O consumidor e os cuidados nas viagens

Estão chegando as férias e muitos consumidores já preparam as malas. Outros ainda estão pesquisando e buscando fechar pacotes de viagens. Alguns cuidados devem ser tomados e, diante de imprevistos, o consumidor deve saber como agir.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010


O consumidor e os cuidados nas viagens

Arthur Rollo*

Estão chegando as férias e muitos consumidores já preparam as malas. Outros ainda estão pesquisando e buscando fechar pacotes de viagens. Alguns cuidados devem ser tomados e, diante de imprevistos, o consumidor deve saber como agir.

Sempre o pacote de viagem deve ser comprado de uma empresa idônea. Tome cuidado com empresas da internet e desconhecidas, principalmente aquelas que não informam o endereço. Dê preferência a empresas que já tenham sido utilizadas, sem problemas, por amigos e familiares.

O pacote adquirido deve ser descrito em detalhes, discriminando: o meio de transporte, se aéreo, marítimo ou terrestre; o nome da companhia; o horário de embarque da ida e da volta; se existe traslado na chegada; o nome e a categoria do hotel; o padrão de conforto do quarto e se o serviço contratado inclui alguma refeição. Muitos pacotes também incluem passeios, que devem estar discriminados, especialmente quanto à localidade a ser visitada; o horário de saída e a sua duração e se incluem ou não refeições e bebidas.

Vôos fretados podem ter variação na data e no horário do embarque. Trata-se de informação essencial no momento da contratação.

O fundamental, em outras palavras, é que o consumidor saiba exatamente o que está adquirindo, para poder prever quanto gastará por dia no local de destino. Isso é imprescindível à programação do consumidor, porquanto pacotes mais completos demandarão menores gastos e vice-versa.

Tudo o que foi combinado com o consumidor deve ser rigorosamente cumprido, especialmente em relação à categoria do hotel e ao padrão da acomodação. Todas as promessas feitas pelos agentes de viagens devem ser transcritas no comprovante da aquisição da viagem que será entregue ao contratante.

É comum, infelizmente, o consumidor chegar ao destino e se deparar com hotel inadequado. Por isso, vale a pena pagar mais e exigir que o nome hotel seja discriminado no pacote, posto que alguns só mencionam a categoria da acomodação. E esta costuma variar muito de hotel para hotel. Também são comuns as ofertas de quartos não correspondentes ao padrão contratado, por exemplo, o consumidor contrata quarto com vista para o mar e hospedam-no em quarto com vista para a parede.

Pacotes para a virada do ano devem mencionar se incluem ou não alguma programação especial, que geralmente é cobrada a parte.

É direito do consumidor exigir o cumprimento do que foi contratado. O primeiro passo é reclamar no hotel e na agência de viagens, caso algo saia diferente do que foi programado. Se, ainda assim, o problema não for resolvido, o consumidor deve se documentar para buscar o ressarcimento no retorno. Toda a vez que o consumidor receber menos do que contratou tem, no mínimo, direito ao abatimento do preço. Vale dizer, a receber dinheiro de volta, correspondente à diferença entre o padrão contratado e o padrão recebido. A documentação do direito do consumidor pode acontecer com papéis, fotos, vídeos e testemunhas. Em casos mais extremos devem ser indenizados, inclusive, os danos morais.

Também são comuns nessa época atrasos aéreos e extravios de bagagens. Todo atraso superior a quatro horas gera direito à indenização por parte do consumidor. A reclamação em relação ao extravio da bagagem deve ocorrer ainda no setor de desembarque, junto ao representante da empresa aérea.

Se esses problemas acontecerem, deve o consumidor procurar o balcão da ANAC ou mesmo os Juizados Especiais localizados nos aeroportos para reclamar, podendo também documentar a irregularidade por meio de filme com o celular.

O consumidor deve ter cautela antes de viajar e durante a viagem. Se seguir esses conselhos certamente terá menos problemas. Na maioria das vezes é melhor pagar um pouco mais caro e contratar uma empresa idônea. Pacotes abaixo do valor de mercado costumam trazer dores de cabeça.

________________

*Advogado especialista em Direito do consumidor e professor titular da Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo

________________

Atualizado em: 13/12/2010 16:16

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Almir Pazzianotto Pinto

Migalheiro desde 2003

Marco Aurélio Mello

Migalheiro desde 2014

Renato de Mello Almada

Migalheiro desde 2008

Pedro Dalese

Migalheiro desde 2020

Teresa Arruda Alvim

Migalheira desde 2006

Carlos Barbosa

Migalheiro desde 2019

Luís Roberto Barroso

Migalheiro desde 2003

Carla Domenico

Migalheira desde 2011

Jones Figueirêdo Alves

Migalheiro desde 2011

Guilherme Alberge Reis

Migalheiro desde 2020

Publicidade