quarta-feira, 21 de outubro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Mantidas regras de dedutibilidade de ágio

Fabio Tadeu Ramos Fernandes e Melina Joice Fioravante

Como se sabe, tradicionalmente, a chegada do fim de ano traz (além do clima de festas), as mais diversas alterações na legislação tributária. Em 2010, no entanto, a surpresa foi a manutenção em geral das regras atuais em matéria de tributos, inclusive da dedutibilidade do ágio para fins tributários.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011


Mantidas regras de dedutibilidade de ágio

Fabio Tadeu Ramos Fernandes*

Melina Joice Fioravante**

Como se sabe, tradicionalmente, a chegada do fim de ano traz (além do clima de festas), as mais diversas alterações na legislação tributária. Em 2010, no entanto, a surpresa foi a manutenção em geral das regras atuais em matéria de tributos.

Um dos temas que causam ou causavam mais temor ao empresariado e investidores internacionais trata-se especificamente da dedutibilidade do ágio para fins tributários.

Desde o início do ano de 2010, com a obrigatoriedade de adequação às novas normas brasileiras de contabilidade, as chamadas regras da IFRS (International Accounting Standards Board), há no mercado uma expectativa crescente em torno da edição de uma lei que adeque a seara tributária à contábil.

Não é raro, no Brasil ou no exterior que existam divergências entre normas tributárias e normas contábeis. Nesse contexto se insere a obrigação relativa ao Livro de Apuração do Lucro Real ("Lalur") criada em 1971 para lançamentos de ajuste do lucro líquido, de modo a compatibilizar a escrituração comercial, contábil e fiscal.

Assim, não é surpresa que o ano de 2010 tenha transcorrido sem que a nova disciplina da Lei das Sociedades por Ações ("LSA" - clique aqui), responsável pela veiculação legal nas novas regras contábeis, tenha encontrado respaldo nas normas tributárias. Há de se observar, que desde 2008, o Brasil adota o "Regime Tributário de Transição" ("RTT"), que instituiu a chamada "neutralidade fiscal" para operações ocorridas durante sua vigência.

Em outras palavras, as mesmas regras verificadas hoje já estavam em vigor anteriormente, em que pese não ter se verificado o temor que o aproveitamento do ágio fosse vedado.

Vale esclarecer que, sob o RTT, o ágio já vinha sendo determinado nos moldes aceitos internacionalmente: primeiramente enquadrado dentre os ativos tangíveis e/ou intangíveis, e apenas eventualmente, na hipótese de restar saldo residual do preço de aquisição, caracterizado como rentabilidade futura.

Uma vez que a escrituração contábil não se confunde com a escrituração fiscal, podemos afirmar que para 2011 fica mantido o direito de aproveitamento do ágio tal como estipulado anteriormente no sistema tributário. Assim, investimentos em participações societárias a serem efetuados em 2011 ainda terão por base o direito atual o qual determina a possibilidade de utilização do ágio calculado com base na diferença entre valor de livros e o valor investido, limitado, quando sua justificativa for a rentabilidade futura, em 5 (cinco) anos no mínimo.

É importante ressaltar que, neste cenário, a edição de uma norma atinente ao ágio continua iminente, mas pouco desejável, posto que reduziria a possibilidade de seu aproveitamento tributário.

________________

*Sócio do escritório Almeida Advogados

**Advogada do escritório Almeida Advogados

________________

Atualizado em: 10/1/2011 14:57

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

É Autor Migalhas? Faça seu login aqui

AUTORES MIGALHAS

Marcus Kikunaga

Migalheiro desde 2020

Hellder Almeida Santos

Migalheira desde 2020

RAQUEL FRATTINI

Migalheira desde 2018

Italo Bondezan Bordoni

Migalheiro desde 2019

Diego da Silva

Migalheiro desde 2019

Renato Dolabella Melo

Migalheiro desde 2014

Carlos Queiroz

Migalheiro desde 2018

Bruno Matos Ventura

Migalheiro desde 2011

Damásio de Jesus

Migalheiro desde 2007

Fernando Guido Okumura

Migalheiro desde 2020

Karina Balduino Leite

Migalheira desde 2014

Publicidade