sábado, 23 de janeiro de 2021

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Luz, câmera e ação

A recomendação é separar um tempo para realizar uma breve retrospectiva sobre o ano que passou e criar um bom planejamento estratégico para o futuro.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Janeiro está terminando e, oficialmente, 2016 já começou. E então advogados, já decidiram o que farão de sua carreira ou de seus negócios? Já fizeram o balanço do ano que terminou e o planejamento profissional para o que inicia ou não acreditam na sua importância e estão muito ocupados para dedicar um tempo a essas atividades?

Antes de se envolverem ainda mais com os afazeres do dia-a-dia e serem absorvidos pelas demandas do cotidiano profissional, a recomendação é separar um tempo para realizar uma breve retrospectiva sobre o ano que passou. Analisar o que deu certo no seu escritório, na sua carreira e aquilo que não funcionou, os motivos dos sucessos e os dos fracassos, o que poderia ter sido feito de diferente ou o que deverá ser mantido.

Este pequeno exercício de reflexão é muito importante para que sejam realizados os ajustes na rota e criado um bom planejamento estratégico para o futuro.

Para aqueles operadores do Direito que, no máximo, avaliam superficialmente se o ano foi bom ou ruim, sem se aprofundar muito nas causas do seu baixo ou alto desempenho, a recomendação é que reservem uns 10 minutos para responderem as perguntas abaixo:

Eu alcancei os objetivos a que me propus? Se não os alcancei, o que foi que deixei de fazer, de pensar e sentir que teriam feito a diferença? E se atingi minhas metas, quais foram os fatores que contribuíram para estes resultados? Quais competências, conhecimentos e recursos se destacaram? O que farei novamente em 2016 que deu certo? E o que mudarei?

E, na sequência, escrevam em papel ou em meio eletrônico essas respostas.

A sugestão é que experimentem anotar a mão, já que recentes pesquisas confirmaram que escrever em papel, à lápis ou à caneta é mais producente do que digitar. Permite uma maior atenção e aumenta o grau de envolvimento.

Uma vez postas no papel as respostas, é o momento de se pensar no próximo passo: o planejamento estratégico deste novo ano.

Saber o que se almeja é basicamente metade do caminho para se atingir as metas definidas.
Quais são as 03 principais áreas que você gostaria de mirar neste ano?

Escreva ao menos três objetivos que você deseja que concretizem em sua vida profissional em 2016. Por exemplo:

  • Eu quero aumentar a lucratividade em "X" % até ____
  • Eu quero aumentar a carteira de clientes em "X" % até ____
  • Eu pretendo ser promovida a "X" até ____
  • Eu vou desenvolver a competência "Y" até ____

Lembre-se de estipular uma meta de curto prazo. Primeiro, porque ela serve para estimular o profissional a entrar em ação, e segundo, uma vez atingida, a meta definida propicia mais confiança e incentivo ao profissional para continuar cumprindo o planejado. Sem mencionar a alegria que dá ao profissional, quando ele atinge um objetivo traçado.

Além disso, qualquer meta deve ser (i) positiva, levar a pessoa para frente, para a realização; (ii) realística, ou seja, possível de ser realizada, ainda que com dificuldade; (iii) mensurável, pode ser quantificada ou qualificada mediante a criação de indicadores; (iv) específica, isto é, com detalhes do que se deseja, onde, quando e por quem; e (v) deve ter um prazo fixado para a sua execução.

Finalmente, é fundamental que essas três metas e as demais estejam alinhadas tanto com o que se deseja realizar no ano, baseado no balanço de 2015, quanto com os valores e propósitos de vida do profissional.

Sem esses requisitos o advogado não terá motivação nem engajamento necessários para ir atrás de seus objetivos.

E aí, você sabe qual a visão do seu negócio ou de sua carreira?
Quais são os valores que suportam essa visão?
Em qual direção quer caminhar?
O que necessita para alinhar suas metas com a sua visão?

Após a estipulação das metas vem a etapa que realmente faz a diferença: a execução do plano de ação.

Sem esse movimento , o plano nada mais é que uma lista física ou mental de desejos inúteis, que dificilmente serão implementados e que, provavelmente, serão abandonados após as primeiras semanas...

Entrar em ação significa tomar as atitudes que se fazem necessárias para alcançar os seus objetivos, sem se importar com as dificuldades, barreiras, medos, falta de tempo ou crenças limitantes.

Quem faz o que deve ser feito, não questiona, simplesmente age. Quer alcançar o resultado planejado? Então vá e faça, mesmo que tenha que tomar medidas ou agir por obrigação ou a contragosto. Nesse momento, estar bem ciente dos valores e propósitos ajuda bastante, na medida em que estes servem de balizadores para o profissional no caminho para o atingimento das metas desenhadas.

Enfim, que tal fazer um filme diferente para 2016 e tornar este o melhor ano de sua vida profissional? Escreva um roteiro bem pensado e planejado, no qual você seja o protagonista e prepare-se para concorrer a vários "Oscars"!

________________

*Ana Barros é coach, advogada e sócia da Thelema Coaching para Advogados.






*Maria Olívia Machado é coach, advogada e sócia da Thelema Coaching para Advogados.

Atualizado em: 27/1/2016 10:17

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

Publicidade