sexta-feira, 27 de novembro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Nada a comemorar

Parabéns pelo quê? O que temos para comemorar? Infelizmente, muito pouco.

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Hoje é o nosso dia, o Dia do Advogado.

Desde cedo venho recebendo inúmeras mensagens me parabenizando pelo dia de hoje. Eu, no meio dessa nossa correria habitual, paro um minuto para refletir e resolvo escrever essas simples palavras, que têm mais o condão de desabafo do que qualquer outra coisa.

Parabéns pelo quê? O que temos para comemorar? Infelizmente, muito pouco.

Nesta mesma semana fui surpreendido com a instauração de um regime de "julgamento virtual", já definido pelo Supremo Tribunal Federal. Ou seja, a partir de agora nossa Suprema Corte julgará inúmeros recursos por meio de um julgamento onde o advogado não participará! Na verdade isso é o fim do colegiado, um completo desrespeito com a advocacia e por via de consequência com o cidadão.

E a nossa OAB? Nada, nem uma única palavra!

Ouço nosso Presidente se intrometer em questões políticas bastante questionáveis, inclusive discutindo a remoção de um presidente da ANATEL, mas não ouvi absolutamente nada sobre esse julgamento virtual.

E isso sem falar da Comissão de Prerrogativas da OAB Federal, ainda nem instalada direito. E olha que já estamos no mês de agosto!

Enfim, nesse dia de nosso aniversário, mais uma me questiono: parabéns pelo quê?

Outro dia assisti à imprensa ecoar os protestos de membros do Ministério Público acerca da suspeita de que um famoso condenado teria, por conta própria, construído uma prisão que conta com privada e água quente, ao passo que a maioria dos presídios tem buraco e água fria. Ora, não seria o caso de exigirmos privada e água quente em todos os presídios, ao invés de toda essa discussão caminhar para a destruição da privada para o fim da água quente? É o socialismo para baixo: ao invés de darmos condições dignas para todos, vamos tirá-las dos poucos que têm!

E por falar em prisão, já cansei de ter que falar com cliente por interfone, olhando-o através de grades ou de um vidro. Já está mais do que na hora de termos o direito de estarmos em uma sala com mesa e sentarmos diretamente diante de um cliente para discutirmos com ele sua condição processual.

Ora, se precisamos passar por revistas e detectores de metais, quase ficando literalmente pelados para termos o direito de entrar num presídio, para que tudo isso se não podemos sequer nos sentarmos frente à frente com o cliente para conversarmos dignamente?

Nesta semana a imprensa também divulgou discussão a respeito das "10 medidas contra a corrupção" propostas pelo Ministério Público, especialmente aquela em que se busca a admissão de provas ilícitas em nosso ordenamento jurídico. E a Ordem, cadê suas críticas, cadê seu representante?

Acho que em época de julgamento virtual estamos vivenciando uma Ordem virtual que por nós, advogados atuantes, pouco tem feito. Enfim, nada, de fato, a comemorar.

_______________

*Roberto Podval é advogado criminalista do escritório Podval, Antun, Indalecio, Raffaini, Beraldo e Advogados.

Atualizado em: 11/8/2016 14:07

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Carlos Barbosa

Migalheiro desde 2019

Renato de Mello Almada

Migalheiro desde 2008

Júlio César Bueno

Migalheiro desde 2004

Teresa Arruda Alvim

Migalheira desde 2006

Abel Simão Amaro

Migalheiro desde 2004

Scilio Faver

Migalheiro desde 2020

Gisele Nascimento

Migalheira desde 2017

Jones Figueirêdo Alves

Migalheiro desde 2011

Ronaldo de Jesus

Migalheiro desde 2019

Sérgio Roxo da Fonseca

Migalheiro desde 2004

Miguel Reale Júnior

Migalheiro desde 2003

Camila Crespi Castro

Migalheira desde 2019

Publicidade