segunda-feira, 30 de novembro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

A OAB e o terceiro setor

Tendo por ano-base 2002, em pesquisa realizada pelo IBGE e o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - IPEA, em parceria com a Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais - ABONG e o Grupo de Institutos, Fundações e Empresas - GIFE, estimou-se que as fundações e associações sem fins lucrativos em atividade no Brasil são em torno de 276.000.

sexta-feira, 19 de maio de 2006

 

A OAB e o terceiro setor

 

Gustavo Justino De Oliveira*

 

Tendo por ano-base 2002, em pesquisa realizada pelo IBGE e o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - IPEA, em parceria com a Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais - ABONG e o Grupo de Institutos, Fundações e Empresas - GIFE, estimou-se que as fundações e associações sem fins lucrativos em atividade no Brasil são em torno de 276.000.

 

Estas entidades realizam programas, projetos e ações que visam defender interesses da coletividade e atender necessidades da população em geral, principalmente em áreas como a saúde, educação, assistência social, cultura, meio ambiente, entre vários outros setores sensíveis.

 

É o que no Brasil se convencionou denominar Terceiro Setor, segmento que vem ganhando cada vez mais espaço em todas as áreas do conhecimento, no Direito inclusive. O interesse no Terceiro Setor é uma das decorrências das políticas reformistas de Estado, ocorridas nas últimas décadas do século XX, as quais, em muitos casos, provocaram a desmobilização das estruturas públicas voltadas à prestação de serviços sociais à comunidade.

 

Se é incorreto afirmar que a responsabilidade estatal na execução dessas atividades socialmente relevantes foi integralmente transferida ao setor privado, certo é que ao menos foi incentivada a co-responsabilidade das entidades privadas (com destaque para aquelas não-lucrativas) para o seu desenvolvimento.

 

No Brasil, o Terceiro Setor pode ser concebido como o conjunto de atividades voluntárias, desenvolvidas por organizações privadas não-governamentais e sem ânimo de lucro (associações ou fundações), realizadas em prol da sociedade, independentemente dos demais setores (Estado e mercado), embora com eles possa firmar parcerias e deles possa receber investimentos (públicos e privados).

 

Sob a perspectiva jurídica, ampla e diversificada é a temática referente às entidades privadas não lucrativas e às atividades de interesse público por elas desenvolvidas, despertando a atenção e recebendo tratamento em disciplinas como o Direito Civil, o Direito do Trabalho, o Direito Tributário, o Direito Administrativo, Direito Penal e o Direito Financeiro, entre outros ramos.

 

Note-se ainda que vem ganhando corpo - principalmente em virtude das especificidades e dos contornos peculiares dos institutos e categorias jurídicas hoje aplicados ao Terceiro Setor - a conformação e a autonomização de um Direito do Terceiro Setor.

 

Este ramo jurídico, ainda em evolução, pode ser compreendido como o ramo do Direito que disciplina a organização e o funcionamento das entidades privadas sem fins lucrativos, as atividades de interesse público por elas levadas a efeito e as relações por elas desenvolvidas entre si, com órgãos e entidades integrantes do aparato estatal (Estado), com entidades privadas que exercem atividades econômicas eminentemente lucrativas (mercado) e com pessoas físicas que para elas prestam serviços remunerados ou não remuneradas (voluntariado).

 

A atualidade da temática referente ao Direito do Terceiro Setor determinou a recente instalação da Comissão de Direito do Terceiro Setor na OAB/PR.

 

A pertinência da iniciativa justifica-se na medida em que cresce, no Brasil, a importância do segmento de atividades socialmente relevantes, desenvolvidas por entidades privadas sem fins lucrativos. Esta iniciativa alinha-se ao papel de destaque e à indispensabilidade da OAB/PR no desenvolvimento e no progresso da sociedade paranaense.

 

Uma Comissão incumbida dos firmes propósitos de estudar os principais aspectos jurídicos que envolvem o Terceiro Setor no Brasil e de acompanhar de perto o trabalho das ONGs em atividade no Estado do Paraná, vem ao encontro de inúmeras e brilhantes iniciativas tradicionalmente levadas a efeito pela OAB/PR no contexto nacional, reveladoras do seu caráter precursor e pioneiro no enfrentamento dos temas e das questões da maior relevância para a Nação Brasileira. 

____________

*Presidente da Comissão de Direito do Terceiro Setor da OAB/PR - Ordem dos Advogados do Brasil, Seção Paraná







______________

Atualizado em: 18/5/2006 13:33

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Diego Mancini Aurani

Migalheiro desde 2020

Abel Simão Amaro

Migalheiro desde 2004

Justiliana Sousa

Migalheira desde 2020

Marco Aurélio Mello

Migalheiro desde 2014

Renato de Mello Almada

Migalheiro desde 2008

Italo Bondezan Bordoni

Migalheiro desde 2019

Cleanto Farina Weidlich

Migalheiro desde 2007

Fernando Salzer e Silva

Migalheiro desde 2016

Gilberto Bercovici

Migalheiro desde 2007

Valmir Pontes Filho

Migalheiro desde 2004

Ivo Ricardo Lozekam

Migalheiro desde 2020

Publicidade