domingo, 29 de novembro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Celeridade e redução de custos na arbitragem

Luis Fernando Guerrero e Olavo Augusto Vianna Alves Ferreira

Terão cada vez mais espaço os advogados que conhecem essas múltiplas opções e conseguem apontar o melhor caminho para os seus clientes.

terça-feira, 19 de novembro de 2019

É comum ouvirmos a frase: "Tempo é dinheiro" (Benjamin Franklin, Conselhos a um jovem comerciante, 1748), que possivelmente surgiu a partir das lições do filósofo grego Teofrasto (372-288a.C). A antiga ideia, com a qual intuitivamente todos concordamos, também se aplica ao meio jurídico.

A celeridade constitui vantagem muito importante da arbitragem. Importante citar que os usuários das arbitragens, em regra, estão satisfeitos com a celeridade do processo arbitral, conforme pesquisa CBAr e IPSOS.

Não se pode olvidar que o árbitro tratará do caso individual com prioridade, em razão da especialidade e do número reduzido de procedimentos sob sua responsabilidade. Difere, pois, de uma vara judicial estatal, que recebe um número crescente de disputas e lida com uma restrição de recursos humanos e financeiros cada vez maior.t

Naturalmente, de uma forma geral, as instituições arbitrais possuem estruturas melhores e são mais ágeis do que uma vara judicial, cumprindo com mais facilidade prazos de tramitação, inclusive para a prolação de sentença, sob pena de nulidade (artigo 32, VII, da lei de arbitragem).

A despeito dessas vantagens, é comum ouvir que a arbitragem é muito cara.

Todavia, comparada à prestação jurisdicional, a arbitragem pode reduzir os custos de transação, uma vez que: (i) priva por menos tempo os bens e direitos disputados em juízo; (ii) incentiva o cumprimento das obrigações contratuais pelas partes, que não poderão contar com a usual demora na solução da lide no âmbito do Judiciário; e (iii) diminui os riscos de que a matéria seja decidida por quem não tem conhecimento do mercado e da legislação específica.

Deve-se considerar ainda que atualmente há um número muito maior de câmaras disponíveis, com opções que viabilizam a arbitragem a custo acessível, com árbitros qualificados, e inclusive com o oferecimento de processo eletrônico.

Em se tratando de um regime privado, fatalmente a concorrência permitirá que as câmaras de arbitragem ofereçam serviços ainda melhores a custos cada vez mais acessíveis. E, nessa linha, terão cada vez mais espaço os advogados que conhecem essas múltiplas opções e conseguem apontar o melhor caminho para os seus clientes.

Os demais, fatalmente, ficarão para trás. O tempo dirá.

_______

*Luis Fernando Guerrero é membro da lista referencial de árbitros da CAMES. Mestre e doutor pela USP e advogado sócio-gestor do escritório Lobo de Rizzo Advogados.

*Olavo A. Vianna Alves Ferreira é membro da lista referencial de árbitros da CAMES. Mestre e doutor pela PUC/SP, procurador do Estado de SP.

Camara de Mediacao e Arbitragem Especializada  S.S LTDA

 






Atualizado em: 20/11/2019 09:40

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Gustavo Abdalla

Migalheiro desde 2019

Pedro Dalese

Migalheiro desde 2020

Stanley Martins Frasão

Migalheiro desde 2002

Celso Wanzo

Migalheiro desde 2019

Renato da Fonseca Janon

Migalheiro desde 2017

Carolina Amorim

Migalheira desde 2020

Luis Felipe Salomão

Migalheiro desde 2014

Diego Mancini Aurani

Migalheiro desde 2020

Lenio Luiz Streck

Migalheiro desde 2005

Almir Pazzianotto Pinto

Migalheiro desde 2003

Publicidade