sexta-feira, 23 de outubro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Momentos de indecisão

Tudo na vida são escolhas. A única coisa que não podemos escolher é nascer. Depois que nascemos tudo passa a ser uma decisão nossa, consciente ou inconsciente.

segunda-feira, 7 de julho de 2008


Momentos de indecisão

Sylvia Romano*

Tudo na vida são escolhas. A única coisa que não podemos escolher é nascer. Depois que nascemos tudo passa a ser uma decisão nossa, consciente ou inconsciente. Mesmo enquanto bebê podemos chorar ou não, mamar ou não, rir ou não. Na primeira infância, podemos fazer "birra" ou não, e por aí afora.

Já na adolescência, podemos optar por estudar, amar, começar a fumar, ou por qualquer outra coisa e a decisão será só nossa, e sempre teremos de arcar com o resultado da escolha, seja ela certa ou errada. "Ser ou não ser", já dizia um bardo inglês. Este é um dos grandes enigmas da vida. Qualquer escolha, por mais insignificante que pareça ser, vai influenciar o nosso futuro, nos dará uma nova vida, quando não, até nos levar à morte. Opções das mais simples, como ir ou não ir, uma roupa, um caminho diferente, um sorriso, ou seja, lá o que for imperceptivelmente poderá compromissar tudo o que está por vir. Quanto mais velhos ficamos, mesmo contando com toda a sabedoria acumulada, as decisões continuam a nos atormentar. Quanto mais vivemos, sabemos que as escolhas podem ser múltiplas e a decisão do que parece ser o melhor fica cada vez mais complicada. "Ah se os velhos pudessem e os jovens soubessem..." é pura balela, "o que sei é que nada sei" sempre aparece na hora do vamos ver. Princípios e ética são imutáveis, mas infelizmente estes valores variam de pessoa para pessoa, existindo uma medida e oportunidade de escolha para cada um, ou seja, voltamos ao "ser ou não ser", ou melhor, ao por aqui ou por ali.

Neste momento a minha opção é falar, ou melhor, escrever. Mas sobre o quê? Já critiquei nossos governantes, autoridades, burocratas, a violência, a falta de ética, nossas leis, a burocracia, o roubo, o fumo, a política indigenista e vários outros assuntos que me incomodam e me obrigam a escrever - minha única arma usada em defesa daquilo que acredito ser correto. Meu ato de escrever e escrever sempre, sem interesse financeiro, político, ou mesmo, vaidade, é o que hoje me dá prazer, me faz sentir viva e combativa e, não, num mundo de alienados inconscientes que não pensam que se aqui estamos nesta vida é para acrescentar, contestar, modificar e colaborar.

Vamos parar de achar que o momento é para "deixa a vida me levar". Isto é apenas uma reflexão. Sabemos que optar por isto ou aquilo é sempre um ato difícil, mas as escolhas estão aí e, quer queira ou não, até a decisão de não decidir passa a ser uma difícil escolha.

_________________




*Advogada do escritório Sylvia Romano Consultores Associados










______________

Atualizado em: 4/7/2008 08:23

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

É Autor Migalhas? Faça seu login aqui

AUTORES MIGALHAS

Mauro Argachoff

Migalheiro desde 2019

Luciana Mayumi Sakamoto

Migalheira desde 2017

Juliano Tannus

Migalheiro desde 2020

Mario Comparato

Migalheiro desde 2003

Danielle Anne Pamplona

Migalheira desde 2019

Eliette Tranjan

Migalheira desde 2019

João Sad

Migalheiro desde 2016

Ronald Sharp Jr.

Migalheiro desde 2003

Anne Joyce Angher

Migalheira desde 2020

Sofia Coelho

Migalheira desde 2020

Renato de Mello Almada

Migalheiro desde 2008

Publicidade