sábado, 28 de novembro de 2020

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Julgamento

Goleiro Bruno tem júri marcado para novembro

Outros quatro acusados também serão julgados pelo sequestro e morte de Eliza Samúdio.

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Foi marcado para 19 de novembro o júri do goleiro Bruno Fernandes e de outros quatro réus pelo sequestro e morte de Eliza Samúdio. O julgamento será realizado em Contagem/MG e foi determinado em despacho pela juíza do Tribunal do Júri da comarca de Contagem, Marixa Fabiane Lopes Rodrigues.

O ex-arqueiro do Flamengo e Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, respondem por homicídio triplamente qualificado, enquanto Marcos Aparecido dos Santos responde por homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver. Dayane Rodrigues e Fernanda Gomes, ex-companheiras de Bruno, respondem por sequestro e cárcere privado.

A magistrada determinou ainda o desmembramento do processo em relação aos réus Elenilson Vítor da Silva e Wemerson Marques de Souza, em resposta a pedido do advogado de Macarrão. Marixa entendeu que, como o processo conta com sete réus pronunciados, não haverá matemática que permita a realização de um único julgamento sem que haja "estouro de urna" em razão da composição do Tribunal. A data do julgamento, no entanto, ainda não foi definida.

Além do pedido de desmembramento do processo, que possui atualmente 38 volumes, com 9456 páginas, outros requerimentos foram feitos, como o arrolamento de delegados como testemunhas e de suspeição da juíza, entre outros. Com relação ao primeiro pedido, a magistrada entendeu que os mesmos poderão apenas prestar esclarecimentos sobre eventuais dúvidas que as partes possam trazer, uma vez que, em seu entendimento, a instrução sumária já foi encerrada, com decisão de pronúncia.

Quanto ao pedido de suspeição, Marixa alegou que não tem qualquer interesse no veredicto condenatório ou absolutório dos réus, mas sim, que o processo chegue ao final, em bom termo, com observância regular da marcha processual, garantindo o devido processo legal e ampla defesa. A magistrada sustentou que o juiz na condução do processo em Plenário, apenas preside a realização da instrução, sendo que a decisão final será dada pelos jurados.

Processo

De acordo com a denúncia oferecida pelo MP, no dia 6 de junho de 2010, Bruno Fernandes, Luiz Henrique, Fernanda Gomes e um menor teriam sequestrado a modelo Elísia Samúdio e seu filho. Com a ajuda de Dayane Rodrigues, Sérgio Rosa Sales, Elenilson Vítor e Wemerson Marques, Bruno Fernandes e Luiz Henrique teriam mantido encarcerada a vítima. Já no dia 10 de junho, após seis dias de cativeiro, a modelo teria sido levada ao encontro de Marcos Aparecido, que a teria asfixiado até a morte e ocultado o cadáver.

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 9/10/2012 08:53