segunda-feira, 1 de março de 2021

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Victor Brecheret

"Monumento às Bandeiras" faz 61 anos e comemora aniversário junto com SP

Neste sábado, 25, paralelamente à comemoração dos 460 anos da cidade de SP, um dos mais famosos cartões-postais da capital paulista completa 61 anos.

sábado, 25 de janeiro de 2014

Neste sábado, 25, paralelamente à comemoração dos 460 anos da cidade de SP, um dos mais famosos cartões-postais da capital paulista completa 61 anos. O "Monumento às Bandeiras", de autoria do escultor Victor Brecheret, representa os bandeirantes, expondo suas diversas etnias e seu esforço para desbravar o país. A obra retrata representantes como o português, o guia índio, os negros e mamelucos, puxando uma canoa de monções, utilizada em expedições fluviais.

Localizada na praça Armando Salles de Oliveira, em frente ao Parque Ibirapuera e à Alesp, a escultura foi encomendada pelo governo de São Paulo em 1921 para as comemorações do quarto centenário da cidade e conta com 240 blocos de granito, pesando 50 toneladas cada, 50 metros de comprimento e 16 metros de altura.

Popularmente conhecido como "Empurra-empurra" ou "Deixa-Que-Eu-Empurro", o monumento foi entregue em 1953 - um ano da data prevista - a pedido do próprio Brecheret, que já não gozava de boa saúde e queria entregar à cidade "seu maior e mais belo trabalho antes de morrer", conforme explica Sandra Brecheret Pellegrini, filha do artista.

À época, a obra pioneira, que traz influências da época em que Brecheret viveu na Europa, foi apresentada ao então presidente Washington Luis e seu secretário Alarico Silveira, recebendo o aval para se tornar realidade. Segundo Sandra, o monumento passou por inúmeros obstáculos até a sua inauguração, "desde a carência de materiais e de recursos financeiros, diversas divergências, adiamentos e até mesmo o seu cancelamento, que depois foi revisto".

Finalmente, após superar todas as dificuldades existentes, o "Monumento às Bandeiras" tornou-se símbolo da cidade e junto aos versos dos poetas Guilherme de Almeida e Cassiano Ricardo em placas nas laterais da escultura.

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 24/1/2014 15:48

LEIA MAIS