terça-feira, 1 de dezembro de 2020

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Promoção

Resultado do sorteio da obra "Mídia Sensacionalista - O segredo de Justiça como Regra"

A mídia sensacionalista pelo jornalismo investigativo nada tem a ver com o policialesco e se harmoniza perfeitamente com o Estado Democrático de Direito.

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Na obra "Mídia Sensacionalista - O Segredo de Justiça como Regra" (Forense - 147p.), o autor Rafael de Souza Lira destaca que a mídia sensacionalista desconsidera a condição humana das pessoas na medida em que as coisifica, como instrumentos necessários para a produção de notícias.

"É com extrema satisfação que apresento ao leitor o livro escrito por Rafael, enfatizando que o assunto enfocado é de grande atualidade e de inigualável importância, e que está respaldado em uma argumentação séria e convincente. Estar informado sobre a mídia sensacionalista e sobre as consequências que dela decorrem é uma necessidade imperiosa de todo e qualquer cidadão para que tome conhecimento dos agravos que podem ferir direitos que lhe são fundamentais e possa, desta forma, evitá-los. Ao apresentado, no seu primeiro livro isolado, auguro que prossiga em suas investigações: é ele ainda devedor, por suas próprias qualidades humanas, intelectuais e científicas de novos trabalhos de envergadura ainda maior, máxime porque possui, em seu favor, uma larga dimensão temporal." Alberto Silva Franco

"Logo por erigir em topos privilegiado de exame e escrutínio o fenômeno específico dos media sensacionalistas, a chamada imprensa de boulevard, a ganhar presença e peso exponencial nas sociedades contemporâneas. Sociedades de democracia melancólica, desencantadas e anómicas, cada vez mais atraídas pela vertigem e o 'esquecimento' do espectáculo. E, concretamente, do espetáculo do terror alimentado pela notícia do crime, explorada sem limite nem critérios outros que não os que se espelham nas vendas e no número dos consumidores e espectadores. Uma imprensa que, vistas as coisas do lado do Direito e do Processo Penal, traz consigo razões acrescidas de apreensão e cuidado." Manuel da Costa Andrade

Sobre o autor :

Rafael de Souza Lira é mestre em Ciências Jurídico-Criminais pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra. Pós-graduado em Direito Penal Econômico pelo Instituto de Direito Penal Económico (IDPEE) da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, em parceria com o Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCRIM). Pós-graduado em Direitos Fundamentais pelo Centro de Direitos Humanos (IGC) da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, em parceria com o Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCRIM). Assessor da Presidência do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCRIM). Secretário-Geral da Comissão Especial IBCCRIM-Coimbra. Advogado em São Paulo.

_________

Ganhador

Patryk Roger Almeida Campos, advogado em Goiânia/GO

__________

EDITORA FORENSE LTDA

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 3/10/2014 13:29