terça-feira, 1 de dezembro de 2020

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

ESA pede credenciamento para cinco novos cursos de especialização lato sensu

quarta-feira, 10 de maio de 2006

 

ESA pede credenciamento para cinco novos cursos de especialização lato sensu

 

Rubens Approbato Machado, diretor da Escola Superior de Advocacia, conselheiro federal emérito e membro nato da OAB/SP, esteve reunido nesta terça-feira, com o presidente do Conselho Estadual de Educação, Marcos Antônio Monteiro, na sede da Secretaria de Educação, para tratar do credenciamento de cinco novos cursos de especialização lato sensu, que a ESA promoverá no segundo semestre deste ano.

 

Participaram da reunião, a vice-presidente da OAB/SP, Marcia Regina Machado Melaré, Ana Vieira, coordenadora pedagógica da Escola e os coordenadores dos novos cursos que serão ministrados: conselheira Sonia Mascaro Nascimento , Direito do Trabalho; Celso Antonio Pacheco Fiorillo , Direito Ambiental; José Marcelo Martins Proença, Direito Empresarial; desembargador Luiz Antonio Rizzatto Nunes, Direito do Consumidor. O curso de Informática será coordenado por Luiz Fernando Martins Castro.

 

Approbato explicou ao presidente do Conselho que a proposta da ESA vem ao encontro do fato que a advocacia é uma atividade essencial ao Estado Democrático de Direito e à paz social. "O advogado deve estar apetrechado para cumprir esse objetivo, mas infelizmente o ensino jurídico está muito deficiente, tanto que no último Exame de Ordem a aprovação ficou no patamar de 11% dos inscritos", lembra Approbato. O diretor da ESA ressaltou, ainda, que a OAB manifesta-se apenas quando da instalação dos novos cursos jurídicos, mas grande parte dos cursos rejeitados são autorizados pelo MEC. " Por isso vemos nos cursos de especialização uma oportunidade para o advogado progredir na carreira. A ESA já conta com 57 unidades no Estado e 3 mil advogados inscritos nos seus cursos, que têm quase 100% de presença", diz Approbato.

 

Na oportunidade, o presidente do Conselho Estadual de Educação propôs à OAB/SP-ESA utilizar a Rede do Saber para cursos à distância, convite que já havia formulado para a Escola Superior de Magistratura e Escola Superior do Ministério Público. "Temos feito um esforço para atrair parceiros/instituições com credibilidade para o ensino à distância, uma vez que a rede é uma estrutura pública bem sucedida, com relevantes serviços prestados à sociedade, que precisa ser ampliada e divulgada para vencer resistências e para se perpetuar, ter continuidade", afirmou Monteiro.

 

Approbato explicou que a ESA tem todo o interesse na Rede do Saber para atingir os 250 mil advogados do Estado e, quem sabe, os 550 mil de todo o Brasil." Esta foi uma das principais preocupações do XI Encontro Nacional de Dirigentes da ESA, que aconteceu em Brasília no dia 8. Em São Paulo já fizemos duas tentativas no ensino à distância, sem os resultados esperados e buscávamos nova alternativa. Certamente vamos fazer uma parceria", confirmou Approbato. O diretor da ESA também quis saber se o credenciamento do curso à distância conferido pelo Conselho de Educação de São Paulo teria validade em outros Estados. Monteiro explicou que São Paulo tem ascendência, tanto que é pioneiro na Deliberação 9 , que traça orientações para instituições de ensino, mas que a proposta pedagógica deve ser submetida ao Conselho do Estado, responsável pela fiscalização.

 

______________

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 10/5/2006 08:42