quinta-feira, 21 de janeiro de 2021

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Linha do tempo

Gaia Silva Gaede Advogados lança livro em comemoração aos 30 anos do escritório

Obra traz fatos ocorridos durante as três décadas sob o olhar de muitos que ajudaram a escrever essa história: sócios, parceiros e clientes.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2020

O escritório Gaia Silva Gaede Advogados comemora 30 anos e para brindar a data lançou a obra "30 anos GSGA - Desde 1990 construindo uma história de relacionamentos!", com os fatos ocorridos durante as três décadas sob o olhar de muitos que ajudaram a escrever essa história: seus sócios, parceiros e clientes. 

Entre relatos de vidas que mesclam as experiências pessoais e profissionais, as memórias se cruzam formando a biografia do escritório que nasceu de um sonho de advogados e se tornou referência em Direito Tributário no Brasil.

Estão contemplados na obra os trabalhos sociais, os prêmios e conquistas, junto com os desafios que foram vencidos para chegar a essa comemoração.

Para além de rever o passado, o livro fala do presente, da importância da Organização no Direito brasileiro, e também dos sonhos e perspectivas para o futuro: reflexões sobre tecnologia, novos mercados, ampliação de áreas, um olhar atento e diferenciado ao negócio do cliente. Reforça os valores que permeiam essa história desde o início e que são projetados também para o futuro, uma herança que os novos sócios trazem na bagagem e se comprometem a levar para a posteridade do GSGA.

Em entrevista, os sócios Fernando Antonio Cavanha Gaia, Severino José da Silva, Henrique Gaede e Gerson Stocco de Siqueira contam um pouco da trajetória do escritório narrada no livro. 

De que forma vocês estruturaram o livro? Não é fácil contar uma história de 30 anos em um livro! 

Fernando Antonio Cavanha Gaia - Nossa trajetória de 30 anos é muito rica e cheia de fatos importantes, por esse motivo, pensamos em estruturar o livro em formato de linha do tempo, passando pelos fatos que marcaram a nossa história. Considerando os tempos modernos em que vivemos, o livro tem como pilar principal a parte visual, ou seja, ele é muito rico em fotografias e imagens que retratam nossos 30 anos desde a sua fundação, em 1990. 

Qual envolvimento dos sócios/ advogados e funcionários na obra? 

Severino José da Silva - O envolvimento dos sócios, advogados e funcionários não se restringe apenas à obra. Só chegamos aos 30 anos porque tivemos uma participação e envolvimento grande do nosso staff. Além das pessoas que estão conosco até hoje, tivemos, e continuamos a ter, o envolvimento de ex-profissionais e que hoje viraram nossos clientes e estão do outro lado da mesa em grandes empresas. Também fazem parte de nossa história todas as instituições que apoiamos com projetos de responsabilidade social e sustentabilidade. Acreditamos que, a par de boa pontaria, demos sorte quando começamos o escritório porque encontramos pessoas que tinham o mesmo objetivo; a bússola era a mesma para todos, tínhamos o mesmo pensamento e ao longo desses 30 anos raramente trouxemos pessoas que destoassem dos nossos princípios. Temos um pensamento uníssono e olhamos para a mesma direção, esse envolvimento acontece desde o início do Escritório e vai muito além do livro que retrata a nossa história.

Fale um pouco sobre a trajetória do escritório. Quais os principais desafios enfrentados ao longo dessas 3 décadas? 

Henrique Gaede - Começamos o escritório já com um grande desafio de enfrentar o Plano Real, em 1990. Foi um começo bem difícil, mas superamos e continuamos nosso sonho de construir um escritório diferenciado. Sempre quisemos fazer do escritório não apenas mais uma banca, sonhávamos em fazer um escritório com personalidade, conquistar o mercado e crescer nesse mercado sem perder a nossa essência. Podemos falar que nesses 30 anos nós mantivemos o escritório funcionando sem nunca se quer ter atrasado um pagamento de funcionário, uma conta de luz ou o pagamento de impostos. Temos um compromisso muito grande com nossos colaboradores e esse é um desafio constante. Nos orgulhamos muito de termos saído carregando nossa bandeira mantendo nossos propósitos e valores. Atualmente, estamos passando por uma das maiores crises que o mundo já enfrentou e mesmo assim, seguimos firmes em nossa trajetória. É difícil escolher os principais desafios, dentre tudo que já vivemos, mas podemos dizer que o desafio constante e mais importante é o de manter uma Organização com uma estrutura de valores e diretrizes.

Como o crescimento pessoal da equipe, contribuiu para o desenvolvimento da banca? 

Gerson Stocco de Siqueira - Nosso escritório teve um crescimento orgânico muito forte, através dos profissionais que passaram a carregar a nossa cultura, nossos valores e nossos princípios. Os sócios mais antigos, principalmente os fundadores, treinaram e ajudaram no desenvolvimento profissional e pessoal daqueles que chegaram há alguns anos. Hoje, queremos que aqueles que foram treinados ajude no desenvolvimento daqueles que estão por vir, queremos que eles conduzam o escritório da com o mesmo perfil com o qual ele foi conduzido nesses 30 anos. Temos uma capacidade grande de promover um ambiente de muito aprendizado para que os profissionais tenham capacidade de crescer e se formar dentro do escritório.  Valorizamos muito a formação de pessoas, tanto que há entre nossos sócios profissionais que começaram como estagiários e a trajetória deles só foi possível porque temos um plano de carreira muito forte e bem estruturado.

É possível fazer um paralelo da história do país com a do escritório? 

Severino José da Silva - O Brasil, durante 30 anos, teve altos e baixos e passou por momentos difíceis como a crise da inflação, a crise econômica de 2008 e agora, mais recentemente, a pandemia da Covid19. Se colocássemos o escritório dentro de um gráfico, poderíamos traçar uma linha ascendente onde superamos bem as crises que ocorreram ao longo desses 30 anos, algo que não é fácil com esse Brasil tão complexo e desigual. 

E agora, quais os planos para o futuro? 

Fernando Antonio Cavanha Gaia - Esperamos continuar crescendo, gerando emprego e novas oportunidades de negócios, mantendo nossa característica orgânica sem nos fecharmos para eventuais adaptações. Queremos continuar manter nossa linha de conduta e competência para que possamos chegar aos próximos 30 anos. Na próxima década, passaremos por um processo natural de sucessão porque temos um plano de carreira muito bem estruturado e definido. Temos planos de continuar inovando e sempre olhando tudo ao redor, sem prejudicar nossos princípios de origem. Sofreremos transformações naturais com a nova geração que entrará no Escritório, mas temos um alicerce forte de princípios e valores que SE perpetuarão. Temos segurança na estrutura que construímos, principalmente em nosso plano de carreira, só podemos desejar que venham os próximos 30 anos!

Para conhecer a obra, clique aqui.

__________

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 7/12/2020 08:52