domingo, 24 de janeiro de 2021

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Presidente da Venezuela ameaça parar de enviar petróleo aos EUA

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, ameaçou neste domingo cortar o abastecimento de petróleo aos Estados Unidos se este país continuar com o que qualificou de "guerra econômica" contra a Venezuela.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008


Petróleo

Chávez ameaça cortar o abastecimento aos EUA

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, ameaçou neste domingo cortar o abastecimento de petróleo aos Estados Unidos se este país continuar com o que qualificou de "guerra econômica" contra a Venezuela.

Chávez se referiu ao fato de a petrolífera americana Exxon-Mobil exigir em tribunais internacionais o pagamento de uma compensação após sua saída de um consórcio venezuelano de exploração de petróleo na Faixa do Orinoco (uma região da Venezuela que pode abrigar a maior reserva petrolífera do mundo).

A Exxon-Mobil não aceitou as regras dos novos contratos de exploração de petróleo estabelecidos após a nacionalização, que prevêem que a PDVSA (estatal do petróleo venezuelana) fique com a maioria acionária dos projetos de exploração.

A disputa teve início nesta sexta-feira, quando a Exxon-Mobil anunciou ter obtido um parecer favorável de tribunais de Grã-Bretanha, Holanda e Antilhas para o congelamento de US$ 12 bilhões em ativos da PDVSA nesses países.

O governo venezuelano acusa a petrolífera americana de "terrorismo judicial" e nega o congelamento de seus ativos.

"Se vocês nos congelam, se chegam de verdade a congelar (os ativos da PDVSA), se nos fazem mal, nós também vamos lhes fazer mal. Sabem como? Não enviaremos uma só gota de petróleo aos Estados Unidos", disse Chávez.

Revolução

O presidente venezuelano afirma que a disputa entre as petroleiras estaria vinculada com o interesse dos Estados Unidos em debilitar seu projeto de revolução.

"Não se afundará a PDVSA, não se afundará a Venezuela, não se afundará esta revolução", disse Chávez, no sábado.

Quatro grandes companhias que operavam no Orinoco antes da nacionalização - a americana Chevron, a britânica British Petroleum, a francesa Total e a norueguesa Statoil - aceitaram as regras dos novos contratos.

A Venezuela é o quarto maior fornecedor de petróleo cru ao mercado dos EUA.

O presidente venezuelano disse que se a "guerra econômica" contra a Venezuela continuar, o preço do petróleo poderia chegar a US$ 200.

_______
_________

Fonte: BBC Brasil
__________________

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 11/2/2008 08:05